O amor nos tempos modernos

Post escrito originalmente em 15 de fevereiro de 2013.


Olá amigos! Como vão? 🙂

Neste post quero transcrever um texto maravilhoso escrito pela minha querida colega da faculdade Keissy. Espero que gostem!

Como deveria ser o amor...
Imagem retirada deste site.

O amor nos tempos modernos

Eu acredito no amor.
Sim, percebo minha ousadia ao afirmar isso.
Em tempos que falar de amor se tornou algo chato, ultrapassado e aquela velha história, na qual os casais se amavam e eram felizes para sempre, já não faz mais sucesso na televisão ou nas telas do cinema.
O público, como diz a mídia, prefere algo mais “inovador”.
E então, colocam mulheres seminuas e homens malhados exibindo suas vidas, se “pegando”, se desrespeitando, falando palavrões, fazendo gritarias. A mulher que trai o cara com o seu melhor amigo. O homem que só quer saber de “se dar bem”, se é que me entendem.
Mas sim, repito, eu acredito no amor.
Aquele que é construído, conquistado, cuidado.
Aquele que só existe quando há duas pessoas comprometidas em fazê-lo crescer e perpetuar-se.
As pessoas culpam o casamento, o namoro, a chuva ou os relâmpagos, mas esquecem-se que um relacionamento só existe porque há nele seres humanos envolvidos.
E não há felizes para sempre que aguente um casal que não está junto nessa batalha.
É preciso querer que dê certo. E, acredite, você vai precisar abrir mão algumas vezes, vai precisar de muita paciência, muita compreensão, companheirismo, respeito, diálogo, senso de humor para rir de si, e de toda aquela situação bizarra que precisarão passar, vai precisar enxugar as lágrimas do outro e não apenas as suas, vai ter que se preocupar com seu sorriso e também com seu silêncio, vai aprender a criar aquela tal intimidade que todos falam, mas que só é real quando se aprende a perceber não apenas a si, mas o outro e tudo que os cercam.
E esse é um grande desafio.
O grande erro das pessoas é acreditar que dizer que ama já é o bastante, enquanto que é no dia a dia,
nos obstáculos, na cara amarrada do outro, nas “tpms” insuportáveis, nas reclamações sem sentido,
que se ama pra valer. E aí, se decepcionam, metem os pés pelas mãos, e ali está, mais um conjunto de juras de amor eterno indo por água abaixo.

E, então, você escuta que o amor é uma grande brincadeira, uma farsa.
E eu respondo, o amor é o sentimento mais sublime que existe. O problema não está no amor, está nas pessoas com quem você se relaciona e ponto final.

Keissy K.

Post original aqui.

Lindo texto, não? São pessoas que tem pensamentos como os dela que são a esperança da existência do amor verdadeiro, nos dias de hoje.

Lembrar que amar alguém é diferente de atração física/sexual ou por motivos supérfluos. Amar é aceitar o outro como ser humano, com suas qualidades e defeitos. Gostar dessa pessoa por ela ser quem é, independentemente de seus pertences e/ou títulos.

Esquecer o amor egoísta, que enxerga somente o “eu”: os meus sentimentos, as minhas vontades, o meu sofrimento, a minha felicidade, os meus desejos, etc., e relembrar o significado de amar, ou seja, dois sendo um. Portanto, preocupar-se e entender a(o) minha (meu) parceira(o), os sentimentos dela(e), as vontades dela(e), o sofrimento dela(e), a felicidade dela(e), os desejos dela(e)…. E, transformar tudo isso em NOSSO sentimento, NOSSA vontade, NOSSO sofrimento, NOSSA felicidade, NOSSO desejo.

Aprender a ceder para ver o sorriso da pessoa amada é uma prova de amor que vale mais do que mil palavras. Porém, para ceder, é preciso conhecer de verdade a(o) parceira(o). Não só saber o nome, idade, endereço e contatos.

No entanto, deve atentar-se para o caso de um dos lados estar cedendo muito mais que o outro. Equilíbrio é a chave para a harmonia, e para isso, o diálogo, junto com a confiança mútua, é o ingrediente principal. O casal que sempre dialoga (e não discute/briga) tem maiores probabilidades de dar certo e serem felizes.

Falando em confiança, é preciso lembrar que esta também deve ser algo compartilhado e mútuo. Vejo pessoas reclamando que seu parceiro(a) não confia nelas, no entanto, suas atitudes não permitem que haja esta confiança. Chega a ser contraditório. Bom senso é necessário, nessas horas.

A humanidade deve se lembrar que dizer “te amo“, dar um beijo na boca, ir para a cama… São todos demonstrações de amor verdadeiro, e não ferramentas para a satisfação de seus prazeres egoísticos. Discorro um pouco sobre isso, neste post.

Devem se lembrar que amar e ser amado é uma grande responsabilidade. Pois estamos lidando com sentimentos de alguém, algo de valor inestimável. Para cuidar e proteger este tesouro, é preciso enfrentar adversidades e atritos, enfrentar diferenças, dialogar, ter a força de vontade de superar tudo os dois JUNTOS. Essa força de vontade só existe quando há amor verdadeiro. Entre um casal, o EU não deve sobressair mais do que o NÓS!

Minha intenção era só acrescentar um breve comentário meu sobre o maravilhoso texto da Keissy, mas acabei escrevendo outro texto! ^.^

Vou parando por aqui!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s