Pais e Sogros

Post escrito originalmente em 05 de janeiro de 2012.


Olá para todos! 🙂 Como vão?

No post de hoje falarei sobre a relação entre genro (nora) e sogros, que para muitos, não é um assunto muito agradável.

Pais e Sogros
Foto retirada deste blog.

Acredito que no mundo inteiro, o senso comum (ênfase para as aspas) diz que sogra e nora não se dão bem… Tanto que existem inúmeras piadas em relação a esse assunto, sendo algumas de muito mau gosto. E, quando se presencia casos em que assim o é, é visto por muitos como “normal“.

Mas será que sogra e nora tem que ter um relacionamento assim?

Ao meu ver, os sogros seriam como segundos pais, portanto, deveríamos amar e respeitá-los, da mesma forma como amamos e respeitamos nossos próprios pais. E deveríamos lhes ser gratos, pois foram os nossos sogros que colocaram no mundo, educaram e criaram nossa alma gêmea! É algo tão óbvio, que ao meu ver, as pessoas deveriam estranhar a ausência dessa gratidão.

Na maioria das vezes, tudo começa com o receio inicial que se tem, principalmente entre sogra e nora (podendo ocorrer também entre genro e sogros), que, ao conhecer seus sogros já vai com o pensamento “acho que eles não vão gostar de mim”. E a sogra(o) já pensa “minha nora (genro) não vai com a minha cara”. Esse pensamento, mesmo que inconsciente, é captado por ambos os lados, e é por isso, que geralmente sogros não se dão bem com noras (genros). O encontro inicial já é realizado com ambos os lados na defensiva (mentalmente, é claro).

Obviamente, estou falando no geral. Há muitos sogros que se dão bem com seus(suas) respectivos genros(noras), o que deveria ser o comum.

Outra possibilidade que pode ocorrer, é a sogra guardar em seu interior o sentimento de que a nora está lhe “roubando” o amor do filho. O principal argumento de quem pensa dessa forma, é que foi ela a responsável de colocar ele no mundo, além de ter se dedicado a criar, educar e cuidar do filho. Claro que ela tem o mérito de tudo isso, e é exatamente por isso que o sentimento de gratidão para com os sogros é importante. Todavia, não significa que a mãe tenha direito exclusivo do amor dele, e muito menos, que ele seja um pertence de sua mãe. Para começar, o amor que o filho sente pelos pais não muda em nada quando ele encontra o amor da sua vida.

Se houver amor e respeito sinceros em relação aos sogros, certamente estes irão reconhecer e retribuir esses sentimentos. Em uma união, nenhuma família perde seus filhos(as), pelo contrário, ganham um(a).

Eu ainda não tenho sogros, mas desde já, sempre agradeço a eles (seja lá aonde eles estão), por terem dado a luz e criado a minha alma gêmea! Desejo poder amá-los como amo muito os meus pais!

Muitas das coisas que escrevi neste post eu já tinha em mente, porém, me foi reforçado ao ler o livro “ASSIM SE CONCRETIZA O AMOR” do mestre Masaharu Taniguchi, fundador da SEICHO-NO-IE!

ASSIM SE CONCRETIZA O AMOR - Livro de Masaharu Taniguchi.
ASSIM SE CONCRETIZA O AMOR – Foto de Elson Diogo Masuzawa

Bom, é isso! Até a próxima!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!
Abraços!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s