Que sorte! Não tenho talento!

Olá pessoal! 🙂 Como estão?

Aos que atentaram para o título da postagem devem estar pensando: “Mas que raios!? Como assim não ter talento é uma sorte?”. Acertei? Mas é isso mesmo!

O perseverante pode superar o talentoso.
O perseverante pode superar o talentoso. – Imagem retirada deste site.

Antes de tudo, vamos definir o que é talento! (Não, não é chocolate!). Talento é uma aptidão para uma determinada prática, uma capacidade. É quase sinônimo de dom, termo mais comumente usado para áreas mais difíceis, raras, ou que exigem maior sensibilidade (artes, música, atuação, por exemplo). Para mim, ambos são apenas uma facilidade que o indivíduo tem para uma determinada atividade.

O senso comum diz que quem nasce com talento/dom para alguma área é um felizardo. E, quem não o possui, acaba desanimando e seguindo outros caminhos, achando que não nasceram para isso. Mas, será que é assim mesmo?

Existe uma fábula bem famosa, chamada “A Lebre e a Tartaruga” de Esopo, que ilustra perfeitamente o que pretendo discorrer mais adiante.

A Lebre e a Tartaruga

“A lebre vivia a se gabar de que era o mais veloz de todos os animais. Até o dia em que encontrou a tartaruga.

– Eu tenho certeza de que, se apostarmos uma corrida, serei a vencedora – desafiou a tartaruga.

A lebre caiu na gargalhada.

– Uma corrida? Eu e você? Essa é boa!

– Por acaso você está com medo de perder? – perguntou a tartaruga.

– É mais fácil um leão cacarejar do que eu perder uma corrida para você – respondeu a lebre.

No dia seguinte a raposa foi escolhida para ser a juíza da prova. Bastou dar o sinal da largada para a lebre disparar na frente a toda velocidade. A tartaruga não se abalou e continuou na disputa. A lebre estava tão certa da vitória que resolveu tirar uma soneca.

‘Se aquela molenga passar na minha frente, é só correr um pouco que eu a ultrapasso’ – pensou.

A lebre dormiu tanto que não percebeu quando a tartaruga, em sua marcha vagarosa e constante, passou.

Quando acordou, continuou a correr com ares de vencedora. Mas, para sua surpresa, a tartaruga, que não descansara um só minuto, cruzou a linha de chegada em primeiro lugar.

Desse dia em diante, a lebre tornou-se o alvo das chacotas da floresta.

Quando dizia que era o animal mais veloz, todos lembravam-na de uma certa tartaruga…

Moral: Quem segue devagar e com constância sempre chega na frente.”

(Fábulas de Esopo – Editora Scipione) (Fábula transcrita deste site)

Para o assunto deste post, a lebre representaria o talentoso, já que ela possui o dom natural de correr. Já a tartaruga, seria alguém sem talento (para a corrida, no caso). A grande maioria dos rotulados como talentosos, agem como a lebre, não se esforçam continuamente para melhorar mais, enquanto alguém que tem consciência de que não tem o talento, mas que possui convicção e força de vontade para se aprimorar, aperfeiçoa-se lenta e ininterruptamente, podendo superar os considerados talentosos.

Por isso, não ter talento pode ser uma vantagem, pois nos condiciona a nos esforçarmos sem parar, para atingirmos nosso objetivo. Já que o ser humano é uma criatura que, em situações amenas (como a dos talentosos), acaba se acomodando.

Com isso, não estou dizendo que ter talento seja algo ruim. Pelo contrário, é positivo! Todavia, o talentoso deve atentar e se policiar para não relaxar, achando que está no topo, ou pensando que não há mais o que aprimorar, ou ainda, achando que se alguém o ultrapassar, pode se recuperar facilmente.

Como podem ver, é tudo uma questão de ponto de vista. Se soubermos olhar pelo ângulo correto, poderemos nos considerar afortunados, não importando a nossa situação atual. De qualquer forma, o ponto principal para todos, é se esforçar constantemente na direção do aprimoramento, independentemente da área em que estiver almejando/atuando.

Muitas vezes, as pessoas que desejam seguir determinado caminho, são desencorajadas, por serem considerados desprovidos de dons para este. É uma situação comum para os que almejam áreas como música, arte, teatro, cinema, etc. Porém, nessas circunstâncias, não se deve dar ouvidos aos outros, pois se isso é realmente um sonho, haverá força de vontade e ânimo para perseverar, e assim, superar qualquer barreira! Afinal, não existe limite para o aperfeiçoamento.

Portanto, se você é um talentoso, não deixe suas habilidades natas o deixarem confiante demais, pois assim, acabará desperdiçando a oportunidade de evoluir mais. E, se você não é um talentoso, não permita que os outros determinem que você não consegue seguir o caminho que deseja, eleve seu espírito de luta, esforce-se e prove a todos que dom não é o fator determinante em nada, mas sim a vontade de fazer as coisas darem certo! E, se tropeçarem, não tem problema, levantem-se, se for necessário, chorem, mas em seguida, olhem para frente e recomecem a caminhada rumo aos seus sonhos!

Bom, por hoje é só!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s