SEICHO-NO-IE: Solidão não existe

Post escrito originalmente em 28 de junho de 2012.


Olá a todos! 🙂 Como estão?

Faz tempo que não escrevo nada, né? Hoje trago alguns trechos da SEICHO-NO-IE. O assunto é a solidão.

Solidão não existe
Imagem retirada deste site.

A solidão não existe.

“A solidão não existe. Se sentes solitário é porque buscas nos outros a satisfação de teus anseios. Viver conforme a Seicho-No-Ie é conscientizar que tudo já está dentro de ti.”

“O ‘modo de viver da Seicho-No-Ie’ consiste em elogiar os outros. Em certa reunião, elogiei determinada pessoa apontando somente suas qualidades, apesar de se tratar de alguém que havia me traído.”

“A uma outra pessoa, escrevi uma carta apontando com clareza seus defeitos, justamente por amar essa pessoa. E ela respondeu-me, agradecendo.”

“O ‘Eu verdadeiro, que tanto pode elogiar um traidor como pode criticar a quem ama, é um ser livre. O ‘eu carnal’ pode, eventualmente, sentir solidão, mas essa situação é falsa, pois o ‘Eu verdadeiro’ jamais sente solidão.”

(Masaharu Taniguchi – Palavras de Sabedoria)

Realmente, se pensarmos bem, mesmo que sem querer, nós sempre temos expectativas em relação às pessoas ao nosso redor. Quando essas pessoas não atendem a estas, nos ferimos e, mesmo que sem querer, nos afastamos. Assim ficamos solitários. Porém, segundo as palavras do professor Taniguchi, a solidão realmente não existe.

Ao elogiar alguém que o havia traído, o mestre apenas estava seguindo uma das práticas da SEICHO-NO-IE, que é enxergar somente a Imagem Verdadeira desse traidor. Segundo os ensinamentos, todas as pessoas são filhas de Deus, portanto, todos são pessoas maravilhosas e perfeitas, apenas as pessoas não a manifestam no mundo fenomênico.

Quando Taniguchi-sensei criticou alguém que amava, acredito que ele o fez de forma a essa pessoa perceber seus defeitos/erros, possibilitando que ela mude. Há duas formas de criticar alguém. Uma é “atacando (julgando)“, falando com rispidez afim de machucar o outro, essa é uma forma incorreta de se apontar os defeitos. A outra forma, é falar com amor, com o intuito de ajudar a melhorar essa pessoa. Sair criticando todo mundo, usando como justificativa que é um ato de amor também é um erro grave.

A solidão reflete uma posição mental errônea do próprio indivíduo. Geralmente, quando se é traído, guarda-se rancor dessa pessoa, e isso, direta ou indiretamente, acaba afastando a quem amamos.

Da mesma forma, quando percebemos algo de errado nas pessoas que amamos, se negligenciarmos isso e deixarmos passar, fingindo não perceber, não estamos sendo verdadeiros com essa pessoa. E, cedo ou tarde, as pessoas perceberão essa falsidade, fazendo com que elas se afastem.

Em ambos os casos, ficamos solitários, mas é por conta de nossa atitude mental.

Corrigindo essa postura mental, fazemos a “ilusão” chamada solidão desaparecer. No entanto, sei que não é fácil adquirir e manter essa postura. Eu mesmo, tenho muito a aprender com a SEICHO-NO-IE! E, acredito eu, o principal aprendizado é manter a mente em serenidade e harmonia. Tendo isso, acho que é possível elogiar (com sinceridade, isso é importante!) quem nos prejudicou, e ser sincero ao apontar erros de quem amamos, sem machucá-las.

De passo a passo, acredito que todos consigam evoluir e manifestar a Imagem Verdadeira descrita pelo mestre Taniguchi Masaharu.

Bom, por hoje é só!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!


POSTS RELACIONADOS:

~> Quem nunca sentiu solidão?
~> Solidão
~> Solidão Vigente

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s