Sobre a depressão

Post escrito originalmente em 10 de janeiro de 2013.


Boa tarde, pessoas! 🙂 Como estão?

O assunto de hoje é a depressão. Algo bem sério, mas que é ignorado e, muitas vezes, visto com preconceito pelo “senso comum”.

Depressão
Arte feita por AJGIEL, retirada deste site.

Quero iniciar o assunto de hoje com um trecho do livro de Augusto Cury:

12 Semanas para mudar uma vida
Foto retirada deste site.

“Se você tiver parentes ou amigos com depressão e que estão sem coragem para viver, ouça-os sem criticar. Não lhes dê conselhos superficiais. Empreste-lhes seu coração. Diga a eles que são fortes, que têm uma grande fome e sede de viver. Encoraje-os a se tratar sem culpa.”

(CURY, Augusto. 12 Semanas para mudar uma vida. Editora Academia. página 123)

Não sou psicólogo, nem psiquiatra, por tanto, o que falarei é apenas meu ponto de vista. São palavras e pensamentos de um amador.

Primeiramente, o que é a depressão? Ao meu ver, é o estágio mais extremo de desespero em que a mente humana pode chegar. Causado por algum sentimento ou pensamento negativo intenso. Podendo ser a tristeza, solidão, a frustração, o medo, o trauma, a falta de sentido na vida, etc. A pessoa possui um vazio dentro do peito, algo que ele sente do fundo do coração.

Um dos problemas que a humanidade enfrenta atualmente é a falta de sensibilidade e o excesso de egoísmo/egocentrismo. O pior que se pode fazer a alguém com depressão e dizer que esta é uma “frescura” ou que é “coisa de gente fraca“. Não acredito que seja isso. Pois quem diz isso, nem imagina o que a pessoa deprimida pode ter passado, quais são seus medos e traumas. Elas não conseguem se colocar no lugar da pessoa referida, causando um agravamento na situação do depressivo.

O agravamento de uma depressão pode ser perigoso, pois existe a possibilidade desta pessoa começar a pensar em suicídio.

Acredito que o melhor a fazer, quando há alguém deprimido, é seguir o que Augusto Cury aconselha no trecho que transcrevi acima. Deve-se dar atenção e amor a esta pessoa, deixá-la falar e desabafar tudo o que quiser. Dessa forma, estamos doando nossa energia para suprir o vazio desta. Não se deve criticá-la, mas sim escutá-la e se interessar pelo que ela está falando. Perguntar mais sobre os problemas e sentimentos que ela está contando, para que ela sinta que você realmente está querendo entendê-la, e que ela não está .

Nunca devemos dar conselhos superficiais, ou aquelas respostas convencionais e automáticas que damos em determinadas situações. Pois isso demonstra que você não se importa com ela (pelo menos, não de forma profunda), e não pensa em entendê-la realmente. Passa uma sensação de descaso para com o problema do deprimido.

No fundo, as pessoas depressivas são as que mais desejam viver, e as que mais querem ser felizes. No entanto, por estarem com a autoestima baixa, não conseguem se desapegar dos sentimentos, lembranças e pensamentos ruins do passado. No caso dos que pensam em suicídio, acredito que, inconscientemente, com essa atitude terrível, elas desejam “matar sua dor“, e não a si mesmas. Pois elas, assim como todos nós, desejam viver felizes.

Segundo Augusto Cury, o ideal, ao encontrarmos uma pessoa com depressão, é levá-la a um profissional competente de confiança. Pois, a depressão pode se tornar uma doença complicada.

Como disse no início, não sou profissional da área, sou leigo. Apenas transcrevi o trecho do livro de Augusto Cury e expressei minha opinião sobre o assunto. Espero que este post possa ajudar as pessoas, no sentido de orientá-las a como proceder caso conheça alguém com este problema. Ou, se for alguém com este sofrimento em sua vida, possa se inspirar a procurar ajuda. E, se eu puder ajudar, o faço com prazer!

Por hoje é só! Ótimo final de semana para todos!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

2 comentários em “Sobre a depressão

  1. Parabéns pelo texto,
    Esses dias estava conversando com uma amiga que tem depressão, e ela tava falando o quanto estava irritada com uma publicação em um certo grupo do facebook. A publicação em si estava meio que zombando de quem tem depressão, e ainda tinham vários comentários de pessoas que aparentemente usam ela com o intuito de ser um “sad boy” da vida.
    Como tenho convívio com pessoas que tem, as vezes acabo me sentindo bem mal junto com a pessoa, principalmente quando vem conversar comigo e falar que prefeririam morrer, porque elas não tem um propósito na vida.
    Sempre converso com meus amigos a respeito disso, e até mesmo com os que não tem, porque na minha própria família vejo o como eles tratam o assunto, dizendo que a pessoa está precisando é de Deus :\
    Eu já passei por um momento em que queria me matar, ou me envenenar, e escutei as palavras que citei acima dos meus parentes, e só não fiz isso por causa de amigos que conversaram comigo, e me deram total apoio quando precisei.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Olá Brendo! Muito obrigado pela visita e pelo comentário!
      Infelizmente, uma grande parte de nossos irmãos não conseguem compreender a dor da depressão, por não serem empáticos, e/ou por nunca terem experienciado tal vivência. Assim, saem “piadinhas” e publicações como a que você mencionou.
      Quanto aos que usam a depressão apenas para passar uma imagem de pessoa triste, não imagina o quanto está se prejudicando com isso, em vários sentidos. Por outro lado, é muito fácil distinguir quem está realmente com depressão, já que, quem está assim, evita contato com as pessoas, portanto, não saem de casa e, ficam ausentes ou pouco presentes nas redes sociais.
      É preciso diferenciar também, pessoas com depressão de fato, de pessoas que passam por momentos depressivos. O primeiro é permanente e mais profundo, só pode ser ajudado com auxílio profissional, tendo uma recuperação gradual, pois, é preciso eliminar as chamadas “janelas killer” do seu inconsciente. O segundo, é um pouco mais simples de se resolver, pelo fato de não ser algo que traumatizou e marcou o cerne da alma.
      Para você ver, como temos que ter cuidado ao tentar ajudar uma pessoa depressiva, pois, absorvemos essa energia negativa e ficamos mal juntos (principalmente se você for um empata). Por isso que, em casos mais extremos, é aconselhável ajuda especializada (seja psicológica, psiquiátrica, ou até espiritual).
      Quanto ao motivo de querer tirar a própria vida, segundo o que li do Dr. Augusto Cury, não necessariamente é a falta de um propósito de vida. Pessoas em depressão são as que mais amam a vida, elas possuem essa sensibilidade em excesso, e por isso, sofrem e se machucam mais fácil e profundamente. A vontade do suicídio provém da necessidade inconsciente de matar a sua dor, e não a si mesmo. (E, eu concordo com essa análise dele.).
      Não tiro a razão de seus parentes. Se analisarmos o que Deus simboliza (amor), de fato, é o que pessoas com esse problema mais precisam! O problema é perceber isso e nada fazer para ajudar, pois denota descaso. Eu não tenho religião, mas acredito que ela possa salvar vidas, pois, a fé está intrinsecamente ligada com o psicológico e o emocional.
      Quanto ao que você passou, é bem o que eu discorri na postagem, sobre nunca dar conselhos superficiais (no caso, apenas dizer que precisa de Deus). Felizmente, você teve amigos que o salvaram. Quando a coisa é mais profunda, não existem parentes e nem amigos.

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s