Sobre a Cura Energética/Espiritual

Olá queridos e queridas! 🙂 Como estão?

Na postagem de hoje vou discorrer sobre a minha percepção da cura energética/espiritual. Não falarei sobre as operações espirituais, que é um assunto distinto, apesar de estar relacionado.

A Cura Energética!
A Cura Energética! – Imagem retirada deste Twitter.

Antes de começar, um aviso importante: estou escrevendo para as pessoas que possuem o interesse no assunto, não estou aqui para ditar verdades e, nem convencer ninguém de que esse tipo de cura existe. Estou escrevendo isso de antemão, pois, sei que há muitas pessoas que não acreditam nisso (o que não há problema algum), e se incomodam com quem acredita e discorre sobre o assunto (o que também não tem problema, desde que não venha desrespeitar quem acredita e/ou sabe da existência disso).

O que se tem como senso comum sobre o assunto, é que o enfermo que vai pedir ajuda a um médium é “curado” simplesmente indo ao encontro deste e recebendo a bênção, ou qualquer outro tipo de ritual, tem a “cura” rápida de seu problema. Muitas vezes, o trabalho é feito gratuitamente, sendo uma demonstração de autodoação por parte do médium. Todavia, quando o trabalho é remunerado, é válido também. Ao decorrer desta postagem, dará para entender o quanto essa troca é justa.

O que poucos sabem, incluindo até os próprios curandeiros, é que eles estão puxando a enfermidade para si, por isso, ocorre a aparente “cura”. Não tem como fazer uma doença desaparecer, afinal, não se pode destruir energia (Lei da Conservação da Energia).

Energia? Sim! A doença é um estado vibracional, portanto, energia. O médium apenas puxa essa vibração má qualificada para si, e isso se manifesta de alguma forma na vida deste, seja como algum sintoma (não necessariamente os mesmos da doença puxada), seja por algum acontecimento negativo em sua vida ou na de familiares.

Quem tem consciência desse fato, sempre busca uma forma de liberar esta energia puxada. Cada pessoa deve buscar seu próprio meio de liberar isso. Seja mentalmente, ou através da regurgitação, outros suam muito, ou choram, enfim, existem várias maneiras de descarregar e/ou transmutar essa energia densa.

Caso não se libere e acumule energias desse tipo, “curando” muitas pessoas, o médium pode sim ficar doente e, se nada fizer, pode custar-lhe a vida.

O processo para “curar” energeticamente uma pessoa, é um pouco mais complexo do que se imagina. Mas, antes de explicar isso, acho interessante discorrer sobre o que de fato são as doenças.

As enfermidades nada mais são que a manifestação de algum pensamento ou sentimento guardado no cerne do indivíduo, podendo ser algo até inconsciente. Não raramente é algum rancor, raiva ou ódio nutrido e escondido, podendo ser também alguma tristeza, mágoa, frustração, trauma, medo, etc.. Resumindo, algum sentimento negativo. Pode-se dizer que é uma forma de nosso corpo nos alertar de que há algo errado em nossa posição mental/sentimental/emocional.

Transcrito essa informação, posso explicar também, o motivo de eu ter usado aspas na palavra “cura” (e seus derivados) anteriormente. Se a pessoa criou a sua enfermidade com pensamentos e sentimentos, mesmo que um médium puxe esta para si (independentemente de liberar depois ou não), trazendo uma “cura” para a pessoa, se ela não mudar o que causou essa doença, esta pode voltar futuramente ou, pode retornar em forma de algum outro infortúnio, já que a lição que essa adversidade veio para ensinar, não foi aprendida.

Percebem como isso se torna algo sem sentido. Vou exemplificar para ilustrar: imaginem que Fulano contraiu uma grave doença e, depois de ser desenganado pela medicina convencional, resolveu recorrer para a espiritualidade. Então, Fulano encontra um médium que é capaz de curá-lo, e este o faz.

Todavia, essa doença era causada por um ódio muito grande que Fulano guarda por Sicrano. E, apesar de ter sido curado, o ódio não desapareceu, continuou o mesmo. Esse ódio que foi mantido, irá recriar a enfermidade, ou causar/atrair outro tipo de adversidade na vida de Fulano, podendo ser um acidente, ou o surgimento de alguém que o infernize, etc.

Sendo assim, podemos concluir que, esse procedimento só trás sofrimento ao médium, certo? Afinal, ele puxou essa energia densa, a sentiu e sofreu com isso, mesmo se ele souber liberar. E, no final das contas, não resolveu a raiz do problema do paciente.

Para curar energeticamente alguém, é preciso entrar no campo dessa pessoa, sofrer o que ela está passando, para entender o que ocorre no interior dela. Nesse processo, o médium acaba puxando para si essa energia. E, é assim que podemos descobrir, como trabalhar para resolver esta vibração. Em outras palavras, é preciso limpar a bagunça mental/emocional que o enfermo criou para si mesmo, antes de pensar na cura propriamente dita.

Em verdade, a cura verdadeira está em fazer o enfermo tomar consciência de seus sentimentos e atitudes mentais errôneos, para poder corrigi-la. Fazendo isso, a doença começa a desaparecer sozinha. Em casos mais graves, é possível o médium puxar para si (e liberar depois) essa energia densa, para acelerar a cura. Mas isso, só após a cura mental/emocional do paciente. Dessa maneira, ninguém sofre em vão e, o paciente ainda consegue corrigir um aspecto negativo que vinha guardando dentro de si (conscientemente ou não) e, que o estava corroendo por dentro.

A cura energética/espiritual pode ser feita por qualquer pessoa, desde que tenha o conhecimento e o aprimoramento adequado. Obviamente, há pessoas que já nascem com uma facilidade maior para trilhar esse caminho, mas, todos são capazes de fazê-lo. Todavia, é preciso alertar que fazer isso sem o devido preparo, pode ser perigoso.

Por fim, deixarei uma observação: durante toda a postagem eu mencionei a palavra médium, todavia, todas as pessoas possuem mediunidade, embora, em graus diferentes de despertar. Usei esse termo de forma errada, pois, é o mais popular. Na realidade, existem vários profissionais que curam através da energia, como o terapeutas energéticos, quânticos, reikianos, benzedores, etc.. Cada um do seu jeito, estando ligado ou não a alguma religião, mas, sempre trabalhando com a energia de forma amorosa (outro fator importante). Talvez o Reiki seja um pouco diferente, ainda não tenho propriedade para falar sobre isso.

Antes de encerrar de fato, quero lembrar mais uma vez, que esta é minha percepção do assunto, baseado no que já vivenciei, e no que aprendi na prática com pessoas de minha confiança. Ainda estou aprendendo, e já experimentei dores e sofrimentos de terceiros, por isso, sei que não é nada fácil. Então, em prol de que outros não sofram em vão, na tentativa de curar o próximo, é que estou escrevendo esta postagem. Antes de curar usando a energia, é preciso curar o mental e emocional do enfermo antes (ah! Obviamente, podemos usar a energia para fazer o outro sentir-se melhor, aliviando tensões e o estresse, por exemplo, o que é válido também, e não se enquadra na condição que descrevi durante a postagem, sendo outro assunto.).

Por hoje é só!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

O que é ser espiritualista de verdade?

Olá queridos e queridas! 🙂 Como estão?

Na postagem de hoje quero fazer uma pequena reflexão sobre o que é ser espiritualista. Lembrando que ser espiritualista e ser espírita são coisas diferentes, já que o segundo está diretamente ligado à religião espírita, e não é sobre isso que discorrerei.

O que é ser espiritualista de verdade?
O que é ser espiritualista de verdade? – Foto retirada deste blog.

A grosso modo, uma pessoa espiritualista é aquela que pratica a sua espiritualidade, focando-se mais nas energias do que na matéria (o que é meio contraditório, mas esse assunto fica para outra postagem). E, ligada a ela, estão várias práticas e técnicas (maravilhosas, diga-se de passagem), como a meditação, o Yoga, o Ho’oponopono, o uso de pedras e cristais, a utilização dos mantras, etc. Estando intimamente ligada à Expansão da Consciência.

Mas, será que é isso mesmo? Será que adianta fazer tudo isso, se no dia a dia, tem-se pensamentos destrutivos e/ou densos, se é mal educado ou impaciente com as pessoas, se está esporadicamente reparando e criticando os outros, ou se fica se lamentando pelas coisas do passado?

Penso que uma pessoa espiritualista de verdade é aquela que está de acordo com o seu Espírito e, quando digo Espírito, refiro-me à essência, o Eu Verdadeiro (Eu Superior, para muitos). Vide que a palavra “espírito” vem do latim, “spirāre”, que significa “sopro”, “alma“, “coragem”, “vigor”, “índole“.

Ou seja, mesmo uma pessoa que não tenha conhecimento algum da chamada espiritualidade, se ela agir de acordo com sua Essência, que é o Amor, então, ela é espiritualista! Se ela quer fazer tudo certinho, se trata as pessoas com amorosidade e educação, se ela respeita o próximo, se ela está sempre se incentivando, sendo otimista o máximo que conseguir, então ela é espiritualizada!

Creio que ter o conhecimento ajuda muito. Realizar as técnicas e práticas que mencionei no início são muito válidas, principalmente se fizer sentir bem. Mas, só isso não vai fazer de alguém uma pessoa espiritualizada. O essencial é o que se pensa, fala, sente e faz. Ou seja, são coisas independentes de saber ou não sobre a espiritualidade.

Temos que tomar cuidado, pois, o ser espiritualista já se tornou um rótulo. E, como todo rótulo, ele tem características predefinidas que o fazer ter esse rótulo. Porém, isso acaba se tornando um limitante para a mente dessa pessoa.

Mas, enfim, o mais importante é o mais simples! Pensar, sentir, falar e agir com base no Amor sempre!

Por hoje é só!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

[Altus] Komorebi

Olá queridos e queridas! 🙂 Como estão?

A postagem de hoje é rápida, na verdade, é apenas uma recomendação de músicas que ajudam na meditação, ou para o relaxamento. Na verdade, é um álbum chamado “Komorebi(木漏れ日), que significa “Luz Solar Filtrada através das Árvores“. É uma obra do projeto Altus, criada por Mike Carss.

Capa de Komorebi
Capa de Komorebi – Foto tirada pelo próprio Mike Carss.

As músicas foram compostas entre agosto e outubro de 2015, e ressoam no fundo da alma. Adoro meditar e relaxar ouvindo o álbum inteiro. Achei interessante ele escolher um título em japonês para o álbum.

Eu conheci através da querida e amada Cris Brightlight (via YouTube):

Ele disponibiliza as faixas para download em formato MP3 no site dele, clique aqui. Além de estar presente no Spotify também.

Espero que gostem!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

Ho’oponopono – Delete seus nós

Olá queridos e queridas! 🙂 Estão todos bem?

Na postagem de hoje discorrerei sobre uma técnica havaiana maravilhosa de reconciliação e perdão, o Ho’oponopono, que eu recomendei em minha postagem anterior.

Ho'oponopono
Ho’oponopono – Imagem retirada deste site.

Não vou me aprofundar em sua história, e nem de como era seu ritual original. Em uma rápida pesquisa no Google é fácil de encontrar isso. Irei direto para seu uso moderno, que foi trazido pelo Dr. Ihaleakala Hew Len.

Resumidamente, ela consiste em repetir continuamente quatro simples afirmações:

1. Sinto muito
2. Perdoe-me
3. Eu te amo
4. Sou grato

Existem variantes para elas, mas, essencialmente é o sentimento que essas afirmações passam. Recomendo fazer como a sua intuição mandar, já que não há uma regra definitiva.

Fazendo isso, podemos curar memórias, relacionamentos, lembranças que nos machucam, sentimentos doentios, hábitos ruins, etc.

Pode-se fazer focando em alguém por quem nutrimos ressentimento, ou para quem está ressentido conosco. Pode ser feito para uma lembrança que te marcou, como um trauma, por exemplo. Ou, podemos fazer deliberadamente, sem focar em nada, e repetir sem parar. Ao fazer dessa forma, pode ocorrer algo bem interessante! Podem “brotar” lembranças que nem se recordava mais, ou sentimentos que nem sabia que estavam lá escondidinhos e, ao “saírem” e serem “deletados“, estamos desatando esse nó mental que estava nos afetando de forma inconsciente.

Quando digo que “deletamos” uma memória, não significa que não vamos mais lembrar delas. Estamos apenas transmutando seu significado negativo que ela tem para nós. Isso vai deixar de nos afetar.

Vale lembrar que, mesmo quando fazemos direcionado a alguém, não estamos curando o outro, mas, sim nós mesmos. Ou seja, algo que temos em nós em relação ao outro.

Aí vem a famigerada pergunta que todo mundo que acaba de conhecer essa técnica faz: “Por quanto tempo devo repetir isso?”. O problema que essa questão não tem uma resposta! Depende de você, como você se sente? Escute sua intuição, se achar que é o suficiente por aquele dia, então pare! Se achar legal continuar mais um pouquinho, vá em frente!

Em minha visão, o principal de tudo é o “eu te amo”. O Amor é a energia mais poderosa do Universo. Penso que se amamos, nós sentimos muito, nós perdoamos e, nós somos gratos. Percebem como o Amor puxa todas as demais afirmações? Por isso, para quem acha trabalhoso repetir as quatro afirmações, se tiver que escolher uma, que seja o “eu te amo”.

A queridíssima Cris Brightlight, do antigo canal “COSMOS INTERIOR” tem uma pequena playlist de vídeos falando sobre o Ho’oponopono, recomendo que vejam:

E, ela tem outro vídeo onde ela conta a história do Dr. Hew Len onde, utilizando esta técnica, curou centenas de pacientes sem querer:

Com isso, podemos concluir que o Amor é a força definitiva capaz de transmutar toda e qualquer energia (quando digo energia, refiro-me a tudo: lembranças, sentimentos, relacionamentos, etc.). Então, porque não utilizá-la, já que é tão simples de se fazer?

Esta técnica é tão maravilhosa, que virou até música feita por Aman Ryusuke Seto, que mistura inglês com japonês (via YouTube):

Ela é cantada por Aman, Hanayo e Susan Osborn. Porém, se você não entende nada de inglês e nem japonês, não se preocupem! A Manu Saggioro gravou em português (via YouTube):

Segue as letras:

“I’m Sorry Please Forgive Me I Thank You And I Love You
These Are The Special Words, God Sent To Us All
These Are The Magic Words, God Give To Us All
Ho’oponopono Ho’oponopono Ho’oponopono
I’m Sorry Please Forgive Me I Thank You And I Love You
I’m Sorry ごめんね (gomen ne) 許してね (yurushite ne) Please Forgive Me
I’m Sorry Please Forgive Me I Love You 愛してるよ (aishiteru yo)
魔法な言葉 神様からの 不思議な響き  (mahou na kotoba kami-sama kara no fushigi na hibiki)
Ho’oponopono Ho’oponopono Ho’oponopono
一人一人の贈り物 (hitori hitori no okurimono) Ho’oponopono
I’m Sorry Please Forgive Me I Thank You And I Love You
ごめんね 許してね ありがとう 愛してるよ (Gomen ne yurushite ne arigatou aishiteru yo)
I’m Sorry ごめんね (gomen ne) 許してね (yurushite ne) Please Forgive Me
I Thank You Please Forgive Me I Love You あいしてるよ(arigatou yo)

Em português:

“Me Perdoe Sou Grata Eu Te Amo Sinto Muito Me Perdoe Sou Grata Eu Te Amo São Mágicas Palavras Vindas Pra Curar Fluindo No Amor Pra Nos Libertar Ho’oponopono Ho’oponopono Ho’oponopono”

Para encerrar, vou deixar transcrito a oração original do Ho’oponopono. Acho legal conhecer para compreender melhor os sentimentos dessa prática:

“Divino Criador, Pai, Mãe, Filho, todos em Um. Se eu, minha família, meus parentes e antepassados, ofendemos sua família, parentes e antepassados, em pensamentos, fatos ou ações, desde o início de nossa criação até o presente, nós pedimos o seu perdão. Deixe que isso se limpe, purifique, libere e corte todas as memórias, bloqueios, energias e vibrações negativas. Transmute essas energias indesejáveis em pura luz e assim é.

Para limpar o meu subconsciente de toda carga emocional armazenada nele, digo uma e outra vez, durante o meu dia, as palavras-chave do ho’oponopono: eu sinto muito, me perdoe, eu te amo, sou grato. Declaro-me em paz com todas as pessoas da Terra e com quem tenho dívidas pendentes. Por esse instante e em seu tempo, por tudo o que não me agrada em minha vida presente: eu sinto muito, me perdoe, eu te amo, sou grato. Eu libero todos aqueles de quem eu acredito estar recebendo danos e maus tratos, porque simplesmente me devolvem o que fiz a eles antes, em alguma vida passada: eu sinto muito, me perdoe, eu te amo, sou grato.

Ainda que me seja difícil perdoar alguém, sou eu que pede perdão a esse alguém agora. Por esse instante, em todo o tempo, por tudo o que não me agrada em minha vida presente: eu sinto muito, me perdoe, eu te amo, sou grato. Por esse espaço sagrado que habito dia a dia e com o qual não me sinto confortável: eu sinto muito, me perdoe, eu te amo, sou grato. Pelas difíceis relações às quais só guardo lembranças ruins: eu sinto muito, me perdoe, eu te amo, sou grato.

Por tudo o que não me agrada na minha vida presente, na minha vida passada, no meu trabalho e o que está ao meu redor, Divindade, limpa em mim o que está contribuindo para minha escassez: eu sinto muito, me perdoe, eu te amo, sou grato.

Se meu corpo físico experimenta ansiedade, preocupação, culpa, medo, tristeza, dor, pronuncio e penso: “minhas memórias, eu te amo. Estou agradecido pela oportunidade de libertar vocês e a mim”. Eu sinto muito, me perdoe, eu te amo, sou grato. Neste momento, afirmo que te amo. Penso na minha saúde emocional e na de todos os meus seres amados. Te amo.

Para minhas necessidades e para aprender a esperar sem ansiedade, sem medo, reconheço as minhas memórias aqui neste momento: eu sinto muito, me perdoe, eu te amo, sou grato.

Amada Mãe Terra, que é quem eu sou: se eu, a minha família, os meus parentes e antepassados te maltratamos com pensamentos, palavras, fatos e ações, desde o início da nossa criação até o presente, eu peço o teu perdão. Deixa que isso se limpe e purifique, libere e corte todas as memórias, bloqueios, energias e vibrações negativas. Transmute essas energias indesejáveis em pura luz e assim é.

Para concluir, digo que esta oração é minha porta, minha contribuição à tua saúde emocional, que é a mesma que a minha. Então esteja bem e, na medida em que vai se curando, eu te digo que: eu sinto muito pelas memórias de dor que compartilho com você. Te peço perdão por unir meu caminho ao seu para a cura, te agradeço por estar aqui em mim. Eu te amo por ser quem você é”.

(Retirado do site de João Bidu.)

Por hoje é só!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

Isolamento

Olá para todos! 🙂 Como vão?

Hoje estou a postar sobre um assunto um pouco down, mas, com o intuito de servir de incentivo para as pessoas que se encontram nessa situação de isolamento.

Isolamento
Isolamento – Foto retirada deste blog.

Quando digo isolamento, não falo daqueles tempinhos que a gente precisa para ficar sós, colocar pensamentos e sentimentos no lugar, ou só para curtir um momento conosco mesmo. Falo de casos mais extremos, em que se isola por algum trauma, fobia, ou devido a alguma circunstância específica que nos deixa isolados de todos por um tempo maior.

Posso discorrer sobre isso com confiança, pois eu vivenciei isso. Já faz mais ou menos dez anos que me isolei do mundo, praticamente eliminando minha vida social. Não vou me aprofundar nos meus motivos, mesmo porque, não remete a esta postagem. Porém, de forma resumida e simplificada, devida a eventos de minha vida, fui adquirindo medo e receio de pessoas. E, como devem saber, é meio difícil ter uma vida social sem ter contato com pessoas, certo?

Todavia, o que quero expor nesta, foi o que eu aprendi durante todos esses anos. Estou pulando a parte do sofrimento, solidão, angústia, depressão e frustração. Penso que esses sentimentos são inevitáveis em situações como essas e, compartilhar sobre isso não é nada construtivo.

O que devo exaltar são os preciosos aprendizados que adquiri. Aprendi a me interiorizar, a conversar e conhecer mais sobre mim mesmo e, “descobri” coisas interessantíssimas sobre a vida e a existência em si.

A “conversa” comigo mesmo é uma pratica muito benéfica, pois, começamos a descobrir pontos de nossa vida que precisamos curar, pois, eles afetam o nosso ser atual. E, para curá-los existem métodos muito simples e eficientes como o Ho’oponopono, que explicarei em um outro post.

Converse consigo mesmo!
Converse consigo mesmo! – Imagem retirada deste site.

Porém, quando digo para conversar consigo mesmo, não é para ficar remoendo sentimentos negativos em relação a algo ruim do passado. Isso não resolve nada, além de nos traumatizar mais, pois, cada vez que relembramos uma cena desagradável em nossa mente, para nosso cérebro, estamos passando por aquela situação de novo, gerando as mesmas vibrações estressantes que tivemos quando o fato ocorreu realmente.

Esses pontos também precisam ser curados, e recomendo novamente o Ho’oponopono.

Ao invés disso, converse como se estivesse falando com alguém que acabou de conhecer (só não precisa perguntar o nome, né?). Pergunte-se “o que você gosta de fazer?”, “por que gosta de fazer isso, ou aquilo?”, “o que te deixa feliz?”, “você é feliz?”, “o que gostaria de estar fazendo?”, etc.

A queridíssima Gabriela Stapff dá dicas de como saber “quem é você?”:

Algumas pessoas devem estar comentando: “Mas que bobeira! É claro que eu sei quem eu sou!”. Então, me diga, quem é você, sem me dizer seu nome e nem profissão. Afinal, você não é o seu nome, certo? Ele existe para ser um meio de referirmos a você! E, você também não é sua profissão. Ela é o que você faz, mas, não é você! Quem é você?

Essa é uma das respostas que a gente pode descobrir estando em companhia de nós mesmos. E, esta é essencial para descobrirmos o que queremos de verdade! Ou, o que precisamos fazer para sermos felizes! A mesma Gabriela postou um vídeo que discorre sobre como descobrirmos o que queremos, e vocês verão que descobrir quem você é, é algo essencial!

Uma outra coisa que passei a ver com clareza, é que existem “dois eus“. Um eu mais superficial, que chamam por aí de “ego“. E, um eu mais profundo, mais sábio e, que pensa diferente do ego. Este é o que chamam de “eu superior“, “eu interior” ou “eu verdadeiro“. Normalmente a voz do ego sobrepõe a do “eu verdadeiro”, por isso, é importantíssimo esses momentos de conversa conosco, para alcançarmos esse nosso eu maior. Ele é a nossa melhor bússola para o caminhar da vida.

Ego - Eu Superior
Ego – Eu Superior – arte de Amoraea Dreamseed – Imagem retirada deste blog.

Uma prática que ajuda bastante é a meditação. Existem várias técnicas e tipos de meditação que podem ser feitas, mas, a coisa pode ser muito mais simples do que se imagina. Basta ficarmos sozinhos, quietos, confortáveis, em silêncio, no escuro (de preferência). Fechem os olhos, e inspirem lentamente até o limite, enchendo o diafragma (uma explicação legal da respiração diafragmática aqui. Mas, de forma simples, é quando inspiramos e estufamos a barriga, e não o peito), depois, expirem lentamente, sempre num ritmo confortável e mais calmo possível. Fiquem assim, prestando atenção na respiração, e deixem as coisas acontecerem. Deixem vir e ir pensamentos, mas, sem entrar neles, apenas observem! Podem vir sentimentos estranhos que nem sabia que estavam lá! Se vier algo assim, indaguem mentalmente “o que é esse sentimento?”, ou “por que você está aí?”.

Meditação
Meditação – Imagem retirada deste site.

Quando nos isolamos por muito tempo, temos a tendência a ficar mais pessimistas e negativos. E, isso faz um mal danado para nós, física, mental, emocional e espiritualmente. Então, já que estamos sós conosco, porque não fazer algo que possa nos fazer descobrir o caminho para nossa felicidade? Na pior das hipóteses, apenas vamos nos sentir melhor e mais calmos (o que, penso eu, é uma coisa boa!).

Outra coisa que passei a refletir e a valorizar, é sobre o tempo. Pensem bem, dez anos de vida (no meu caso) é muito tempo! O que eu poderia ter construído em minha vida nesse período? Não é perda de tempo ficar sozinho se lamentando? Está certo que não foi totalmente em vão, mas, poderia ter sido muito mais proveitoso!

Com isso, não estou dizendo que é fácil sair da situação que nos deixou nesse estado. O que quero dizer é: não seria melhor procurar uma solução para essa dor, e poder voltar para a vida o mais rápido possível? Esse mundo tem tanta coisa maravilhosa para oferecer! Para que ficar preso nas coisas ruins?

Se conseguir, procure ajuda de pessoas capacitadas! Recomendo as terapias quânticas e a psicanálise, que têm me ajudado muito. Eu tive muita sorte de ter encontrado pessoas maravilhosas dispostas a ajudar de verdade!

Não tenham vergonha de pedir ajuda. O orgulho não leva a nada, pelo contrário, só irá prolongar o sofrimento. Estamos humanos e, viemos todos aqui com o mesmo objetivo: ser feliz! Então, para conseguirmos isso, devemos nos ajudar uns aos outros! Um dia sou ajudado, no outro eu ajudo!

Uma ajuda o outro!
Uma ajuda o outro! – Imagem retirada deste site.

Lembrem-se que não é possível ajudar quem não quer ser ajudado, ou quem é muito fechado para sugestões, que não querem mudar seus próprios paradigmas e crenças. Por isso, peça ajuda estando receptivo a ela. Muitas vezes, a ajuda não vem como esperamos, mas, acaba sendo muito mais efetiva do que seria se fosse assim.

Enfim, a mensagem principal dessa postagem é, se estiver em isolamento, seja qual for o motivo, tente transformar isso em algo proveitoso e construtivo para si. Conheça melhor a si mesmo. Use esse tempo para fazer coisas que te fazem sentir bem! Não fique remoendo a causa desse isolamento, e busque uma forma de curar essa sentimento. Não parem no tempo, como eu parei!

Bom, acho que é isso! Encerro por aqui, desejando que, se alguém em situação similar à minha ler este post, se inspire a buscar algo construtivo que vá ajudá-lo(a) a voltar para o mundo!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

Tudo existe e não existe (exceto a Mente Criadora)

Olá para todos! 🙂 Como vão?

A postagem de hoje é mais filosófica, pois, estou afirmando que todas as coisas imagináveis e inimagináveis existem e, ao mesmo tempo não existem.

Tudo existe e não existe (exceto a Mente Criadora)
Tudo existe e não existe (exceto a Mente Criadora) – Imagem retirada deste site.

Muitos irão se questionar: “Mas como pode algo existir e não existir ao mesmo tempo?”.

Para explicar isso, precisamos discorrer sobre a existência. Devemos lembrar que não é só a matéria que existe. É preciso compreender que tudo é energia, inclusive a matéria, que nada mais é do que energia super condensada.

Se toda a existência é composta de energia, o que “molda” as coisas? O que diferencia a cadeira da mesa? Você de mim?

A resposta é a Mente. A Energia que a tudo constitui possui uma Mente, que através da ideia e dos pensamentos/sentimentos moldam as coisas. Ela criou universos, mundos, vidas, etc. Tudo, através da projeção mental.

Nós somos extensões dessa Mente Criadora (chamem de Deus, se quiserem) e, por isso, gozamos da mesma força criadora. Vide que somos nós quem criamos a nossa realidade e escrevemos a história de nossas vidas. Isso explica também a famosa Lei da Atração. Na verdade, não é que atraímos as coisas, e sim, as criamos.

Partindo dessa premissa, creio que seja fácil compreender o porque de eu dizer que TUDO existe.

Qualquer coisa que possamos conceber em nossa mente, seja por pensamento racional, ou seja por imaginação, já existe em algum lugar. Lembrando que a terceira densidade da Terra não é o único lugar possível de existir. Existem várias densidades, bem como vários planetas, e vários universos. Isso sem contar com as realidades paralelas. Então, até mesmo um elefante rosa voador existe em algum lugar. Nós “baixamos” essa informação da Fonte, em forma de imaginação.

Então, passamos a questionar: “Certo, olhando desta forma, é possível compreender que tudo existe, mas Elson, você não disse no começo que, ao mesmo tempo, tudo não existe? Como pode isso?”.

A explicação é simples! Lembra que tudo o que existe é projeção da Mente Criadora, certo? Se é só uma projeção, veremos que a única coisa que existe de forma absoluta, é Ela, já que tudo é Ela, tomando formas e existências diferentes. Por exemplo, o “avatar” chamado Elson existe? Aqui na terceira densidade do planeta Terra dessa realidade em específico sim! Mas, essencialmente falando, não. Eu sou apenas Energia moldada pela Fonte, através de sua Mente, na verdade, um fragmento dEla.

Percebi isso ao descobrir que reencarnação não existe. Na verdade, sua existência depende do nível de consciência em que a pessoa está.

Para quem ainda está na vibração do tempo, que não consegue compreender que o tempo linear não existe, então a reencarnação existe sim. Afinal, criamos nossa realidade, e, para quem acredita, passa a existir.

Porém, quem consegue despertar e perceber que o tempo inexiste, vai ver que o conceito de reencarnação perde sentido. E, vai entender que existem encarnações paralelas, mas, não reencarnação.

Atualmente, estou nesse nível de consciência. Porém, fico imaginando se expandir ainda mais e, se tiver um novo despertar, posso descobrir que tudo isso também não existe e, para mim, deixará de existir de fato.

Percebem que existe somente aquilo em que acreditamos? O que temos em nossa mente através de pensamentos, sentimentos e crenças constroem a nossa realidade e, isso muda de pessoa para pessoa, ou melhor, de consciência para consciência.

Penso que, quanto mais vamos despertando, mais vamos descobrindo as projeções e nos aproximando da Fonte. Por isso, quem não quiser estagnar seu despertar, deve ter a mente sempre aberta para novas possibilidades e, nunca achar que sabe de tudo, pois, ainda nada sabemos (ou melhor, lembramos).

Será que esse papo é muito doido? Melhor encerrar por aqui, né?

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

O Multiverso, e a inexistência do Tempo

Olá queridos e queridas! 🙂 Como andam?

Andei meio ausente da internet, e o tempo que ficava no laptop estava usando para recolocar as imagens de meu blog, já que por conta de um problema de configuração, perdi todas elas! 😦 Apesar de ainda não ter terminado, resolvi postar alguma coisa aqui só para atualizar!

Além disso, tive um pequeno problema de saúde essa semana, ficando de cama. Assim sendo, tive tempo para planejar artigos novos, que estou postando tudo hoje, já que, acabou meu luto pelo Flower….

O assunto de hoje parece coisa de quadrinhos! Mas, que é algo real, e que tem sido “lembrado” aos poucos pelos que estão nesse caminho do “despertar“. Tratarei sobre o Multiverso, e suas implicações em outros conceitos, como a reencarnação, o karma, etc., mas, mais especificamente, sobre o tempo.

O Multiverso!
O Multiverso! – Imagem retirada deste site.

Primeiramente, vamos defini-lo. O Multiverso nada mais é que o conjunto de universos que formam a realidade. Quando digo universos, estou falando de realidades paralelas, que são versões alternativas da nossa.

Esse assunto é considerado pela ciência, embora não se tenha nenhuma evidência concreta para torná-la um fato científico. Todavia, é possível vivenciá-la através da espiritualidade.

Então, como funciona isso? Vou deixar aqui o meu olhar sobre o assunto, que está em minha mente desde minha infância.

Para explicar, acho mais fácil utilizar de uma situação hipotética. Imaginem que estou com um dado na mão. A partir deste pequeno evento, já existem infinitas ramificações, onde cada uma é uma realidade já existente. Em uma delas, eu joguei o dado e o resultado foi o número 1. Em outra, foi o 2. E tem mais uma em que saiu 3… enfim, em cada realidade deu um resultado diferente.

Aí alguém pode indagar: “Então, não são infinitas possibilidades, são só seis!”. Só que não! Existe uma em que eu não joguei o dado. Em outra, eu guardei ele no bolso. Em outra ainda, joguei ele numa gaveta, e dentro dessa gaveta vai cair em um dos seis números, certo? Então, mais seis realidades. Fora outras variantes, como a forma de jogar o dado, o clima lá fora, o meu humor no momento, etc.

Resumindo, todas as possibilidades de realidades existem, e são parte de universos paralelos.

E, não é algo que estou dizendo por acreditar. Eu vivenciei isso em sonho e/ou meditação. Fui para uma realidade em que já estou casado (não revelarei nomes! Hahaha). E, lá tenho uma vida em que alguns aspectos são similares com minha vida “daqui”, e outros, são totalmente diferentes.

Certamente alguém irá questionar: “Mas isso não pode ser só um sonho?”. Para começar, sonhos só por sonho não existe. Mas, isso é outro assunto, na qual não irei discorrer aqui, pois, isso vai longe! Além disso, é diferente de um sonho “normal”. Enquanto vivenciei esse sonho, eu tinha lembranças de coisas que aconteceram lá! Conhecimentos que eu só tenho lá! Fora a sensação indescritível, e a espontaneidade com que eu vi as coisas “lá”.

E, só para constar, isso já aconteceu algumas vezes. Muitas delas, em meditação, ouvindo músicas para ajudar na projeção astral. Mas, enfim, acreditar ou não, vai de cada um! Só eu sei o que vivenciei.

Prosseguindo, esclarecido o conceito do multiverso, vamos jogar uma bomba atômica nesse assunto e bugar a mente de todo mundo! Falando na lata, o tempo não existe!

Tempo não existe!
Tempo não existe! – Imagem retirada deste site.

“Mas como o tempo não existe? Não tem o ontem, hoje e amanhã?”, muitos devem estar indignados perguntando algo assim. E, eu respondo que NÃO! Passado, presente e futuro já aconteceram. Nossa mente que organiza isso de forma linear, mas, tudo já ocorreu num único estalo. Na verdade, essa ilusão de tempo é uma dádiva para vivenciarmos a nossa vida, aqui na terceira densidade (que a maioria conhece como terceira dimensão).

Alguns devem estar se perguntando: “E o livre arbítrio? Então não tenho escolha? Já está tudo definido?”. Então, lembra do multiverso? É através dele que escolhemos o que queremos vivenciar. Enxergando do ponto de vista dentro da linha temporal (que é ilusão), todos os futuros já existem, e a gente escolhe qual queremos experimentar. E, nós escolhemos através de nossa vibração, que é definida pelo que sentimos, pensamos e agimos. É aqui que entra a famosa Lei da Atração. Nós caminhamos rumo ao futuro que reverbera com o que estamos vibrando.

Sendo assim, estamos mudando de mundo a cada instante, conforme nossa vibração. A gente não costuma perceber, pois, são mundos quase idênticos, com diferenças mínimas. Vamos a um exemplo?

Imaginem três pessoas: A, B e C. A e B são conhecidos de longa data, e C é uma pessoa que ambos conheceram recentemente. Certo dia, A comenta com B o quão gentil e bondoso é o C. Já o B fala que não, que achou C uma pessoa falsa e calculista, sendo as atitudes bondosas dele uma encenação. Ambos falam da mesma pessoa, mas, qual dos dois está certo? A resposta é: os dois.

O A deve ser uma pessoa mais otimista, vibrando mais alto, ele enxerga uma versão mais elevada de C. Já B é uma pessoa  mais pessimista e desconfiada, vibrando mais baixo, enxergando a versão mais densa do mesmo C. E, isso nada interfere em C, que apenas enxerga as versões de A e B que mais se aproximam com sua vibração, tendo sua própria vivência.

Então, imaginem que com as palavras de B, A passe a desconfiar de C, baixando sua vibração. Nesse momento, ele já estará em um mundo paralelo onde C é exatamente como B descreveu. Lembrando que o A que continua enxergando C com bons olhos ainda existe, e continua vivenciando naquela vibração (sim, somos seres multidimensionais).

Agora imaginem que B se torne espiritualista, e fique mais otimista, buscando enxergar o melhor de tudo e todos. Então, quando ele se encontrar com C novamente, ele verá o mesmo C que o A enxergou desde o início, pois, devido a sua mudança vibracional, ele “migrou” para um mundo paralelo em que C é como A descreveu.

Essa é uma situação hipotética, mas, podemos indagar: “Se for assim, porque A não está conversando com uma versão mais elevada de B?”. Nesse caso, A deve ter algo em sua personalidade, ou forma de pensar/sentir que está em ressonância com B, talvez em outros aspectos. Nós não atraímos pessoas que são 100% iguais a nós, certo? Aliás, é bem improvável encontrarmos alguém assim. Porém, todas as pessoas ao nosso redor, tem algum fator que reverbera conosco, quer percebamos ou não.

Com isso, derrubamos o conceito de reencarnação. Concordam que se o tempo não existe, a reencarnação perde totalmente o sentido? Afinal, reencarnar (encarnar novamente) remete tempo. Uma encarnação vem antes ou depois da outra. Porém, tudo aconteceu no mesmo instante, então, não faz mais sentido esse conceito. O que existe são encarnações concomitantes.

Aí surge a questão: “Mas, e as regressões? É tudo mentira?”. Não, nas regressões, apenas acessamos uma vida de outra pessoa, que somos nós mesmos. Para entender isso, precisamos discorrer sobre as mônadas! E, eu não tenho propriedades para discorrer sobre isso com maestria (embora eu compreenda para mim.). Por isso, indico um vídeo da Danna, onde ela fala sobre isso:

Lembrando que cada encarnação nossa (todas as encarnações da mesma mônada) possuem suas versões paralelas também. Então, temos realidades paralelas e encarnações paralelas. São coisas diferentes, cuidado para não confundir.

Entendendo isso, vem outra questão: “E o karma? Se não existe reencarnação, como fica a questão do karma?”. Ele, na verdade, é apenas o retorno de algo que nós mesmos criamos. Penso que uma encarnação paralela possa interferir na outra de alguma forma, já que há assuntos que conseguimos resolver com a regressão. A Joyce Eliza fala sobre isso, e recomendo muito que assistam, pois, ela também aborda outros pontos do assunto deste post.

Tendo tudo isso em mente, podemos concluir várias coisas. Uma delas é que tudo existe! Até mesmo as coisas mais absurdas existem, em alguma realidade, e/ou planeta, e/ou densidade (também conhecido como dimensão). E, podemos acessar qualquer coisa, bastando mudar nossa vibração.

Todavia, penso que a lição mais importante que podemos tirar de todo esse assunto, é que nós somos totalmente responsáveis por TUDO o que ocorre em nossa vida, afinal, nós estamos escolhendo o “futuro” (dentre todos os possíveis) através de nossa vibração (pensamentos, sentimentos e atitudes). Por isso, não podemos culpar ninguém por nada que se relaciona a nossa vivência. Afinal, somos nós quem escolhemos com qual versão do outro vamos nos relacionar.

A Cris Brightlight discorre perfeitamente sobre essa questão de como criamos a nossa vida (vídeo que já comentei em outra postagem, e que recomendo muito!):

Acho que por hoje já está bom, né?

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

Para mudar a Vida

Olá queridos e queridas! 🙂 Como andam?

Hoje estou a compartilhar sobre um detalhe que pode mudar a vida! É algo que minha razão já sabia há tempos, mas, que estou entendendo com o coração de forma gradual. A inspiração veio do vídeo “ASSISTA!!! SUA VIDA NUNCA MAIS SERÁ A MESMA DEPOIS DESTE VÍDEO.“, da querida Cris Brightlight. Recomendo que assistam, pois, esta postagem será um comentário deste:

Quem se identificou? Esse vídeo contém a resposta para a razão de tudo o que dá de errado no nosso dia a dia! Bem como o motivo da Lei da Atração funcionar (ou não).

Precisamos trazer a consciência para os nossos pensamentos e sentimentos, desligando o nosso “piloto automático“. Parem para reparar, quando estamos fazendo algo de nossa rotina, nossos pensamentos voam automaticamente para algum lugar aleatório do passado ou do futuro. Geralmente, são pontos negativos que geram ansiedade, arrependimento, irritação, ou tristeza. Precisamos viver no presente, para receber o presente do Universo.

View this post on Instagram

Do passado, nada podemos receber. São apenas boas lembranças e/ou grandes aprendizados. Do futuro, nada podemos receber. Pois, está sendo construído e, existem várias possibilidades ainda não palpáveis. Somente do presente podemos receber algo. Aliás, não se chama presente a toa! 過去から何も貰えません。ただのいい思い出とか大切な経験だけです。 未来から何も貰えません。まだ作れるものから、そして沢山具象的な可能性がありますから。 現在からだけ何かを貰えることが出来ます。そう言えば、「現在」は英語で「プレゼント」です。プレゼントは貰えるものでしょう! PS: 日本語を間違えたらすみません! #tempo #passado #presente #futuro #passadopresentefuturo #過去 #現在 #未来 #時間 #今

A post shared by DREAM HUNTERS Z (@dreamhuntersz) on

Estando consciente, vivendo no agora, podemos criar o que queremos através do foco no que está bem. Como a Cris disse, tudo é vibração! O Universo responde ao que vibramos, sendo que vibração é sentimento. Sentimos o que vivemos e, estamos vivendo o que pensamos/agimos.

Assim, se ficarmos lamentando o passado, ou nos preocupando com o futuro, estamos pedindo para o Universo nos mandar mais motivos para nos lamentar e/ou preocupar. É aí que entra a dica fantástica da Cris, de determinar como você quer terminar o seu dia. Penso eu que a maioria quer ir dormir feliz, com sensação de que o dia foi maravilhosos (e cada um tem o seu conceito de um bom dia). Então, que tal determinar isso como meta, e focar no como fazer para que o dia termine assim?

Para mudar a Vida - Tudo é vibração!
Para mudar a Vida – Tudo é vibração! – Imagem retirada deste site.

Essa lição passada pela querida Cris é de uma preciosidade sem igual! Vamos nos alinhar com nosso Eu Superior, e começar a mudar nossa vida desde já?

Encerro por aqui, pois, não há muito o que acrescentar de informação nesse vídeo tão perfeito! Que é um grande ensinamento e, ao mesmo tempo, um amoroso puxão de orelha!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

[Poesia] Chamado da Luz

Olá pessoal! 🙂 Tudo bem com todos?

Na postagem de hoje transcrevo uma nova poesia. Apesar de eu tê-la escrito, as palavras me vieram por intuição, durante uma rápida meditação, portanto, não sei se devo chamá-la de minha. Como não sei quem foi que me intuiu, não posso dar os devidos créditos. Todavia, expresso minha gratidão, por poder ser o canal para esta.

Sem mais, vamos à poesia!

Chamado da Luz
Chamado da Luz – Imagem retirada deste site.

 

Chamado da Luz Poesia: Chamado da Luz

 

O dia em que o coração de cada membro da humanidade vibrar no Amor está se aproximando. E, então, não seremos apenas a humanidade, e sim uma Grande Fraternidade! A Luz já nos chama! Sejamos Amor e espalhemos essa vibe para que nossos irmãos ainda presos no pesadelo da densidade, possam despertar finalmente!

Bom, por hoje é só!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

Tudo existe!

Olá pessoas! 🙂 Como andam?

A postagem de hoje será meio filosófica. Portanto, preparem suas mentes! O assunto é sobre a existência, e eu afirmo que tudo existe!

Tudo Existe!
Tudo Existe! – Imagem retirada deste site.
Dumbo da Disney!
Dumbo da Disney! – Imagem retirada deste site.

Vamos começar questionando o inverso: o que não existe? Vamos ver…, que tal um elefante voador? Se perguntar a qualquer pessoa sã na rua, se já viu ou ouviu falar de um elefante voador, a resposta será, provavelmente, que não, certo? Ok! Então, pergunte a uma criança (ou adulto mesmo) fã da Disney, se conhece algum elefante voador, e muito provavelmente, ela responderá que sim, se chama Dumbo!

“Ah! Que absurdo! É desenho animado! Não existe!” – Muitos poderão dizer. Mas, como não existe? Não tem o famoso “só acredito vendo?”, então, está lá! Qualquer um pode assistir! E, antes disso, existiu na mente de seus criadores!

“Ah! Mas, isso é só criatividade! Não é realidade!” – Alguém poderá retrucar. E, não estará errado! Então, indago, de onde vem a criatividade? De nosso cérebro limitado? Ou de uma outra Fonte, uma Mente Superior onisciente (falarei sobre isso mais adiante.)? Não foi essa mesma criatividade que permitiram os inventores criarem tantas utilidades (lâmpada, telefone, rádio, televisão, computador, etc.)? E, que em períodos anteriores eram apenas coisas ditas como impossíveis de existir? Não foi essa mesma que possibilitou grandiosíssimas obras artísticas e musicais marcarem a nossa história? A única diferença, é que estes concretizaram o que imaginaram em nosso mundo material.

Criamos o costume de não dar tanta importância ao poder da imaginação. Todavia, ela é muito poderosa! Vide o que faz a famosa Lei da Atração! Para aplicarmos esta em nosso favor, é preciso (de forma resumida) mentalizar, sentir e agir de acordo com o que queremos, certo? Pois bem, esse “mentalizar” não é o mesmo que imaginar?

Poder Mental
Poder Mental – Imagem retirada deste site.

Então, poderão perguntar, “ah! Então vai me dizer que seria possível concretizar o Dumbo no nosso mundo?”. E, eu respondo que sim! Nada impede de algum dia, por exemplo, um desses cientistas malucos que brincam com a clonagem causar alguma mutação absurda e desta, nascer um elefante com asas! Não seria algo natural, mas, existiria!

Para vir sem interferência científica, por ser um ser que estaria ligado à Mãe Natureza, seria necessário que o senso comum acreditasse na existência do mesmo. Isso é o que muitos chamam de consciência coletiva, que afeta a todos nós. É por isso que, é muito difícil alguém manter a juventude eterna (ou melhor, até a morte de nosso corpo material), por exemplo, que deveria ser algo normal. Isso não acontece, pois, todos tem a certeza que envelhecer é natural. Por conta disso, mesmo quem tem ciência de que ficar velho não faz sentido, apesar de conseguir retardar este fenômeno, raramente conseguirá estar totalmente isento a ele.

Outro ponto a mencionar, é que a maioria das pessoas acham que só existe a terceira dimensão do planeta Terra! Os próprios cientistas já sabem da existência de outras dimensões, e quem garante que não existem seres parecidos com elefantes que sabem voar em outras realidades? Estou usando o Dumbo como exemplo, mas, isso vale para qualquer coisa!

Sobre as dimensões, vou dar um outro exemplo que amplia a gama de possibilidades de existências. A nossa maravilhosa estrela chamada Sol, é inabitada, né? Claro! É quente pra dedéu! Não tem como sobreviver, certo? Sim, em nossa dimensão sim! Mas, há quem diga que existe vida lá em uma dimensão mais elevada! É o mesmo Sol, mas, dimensões acima da nossa! Ou seja, onde não há matéria! E, diga-se de passagem, dizem que o povo lá é muito gentil!

Por tanto, tudo o que podemos conceber em nossa mente, existe! Inclusive o que vemos em filmes, animações, livros e ficções. A Nay e o Fabian postaram um vídeo bem gostoso de assistir, sobre o assunto:

Obviamente, não necessariamente exista uma pessoa chamada Steve Rogers que, após um experimento de supersoldado, ganhou poderes e tornou-se o Capitão América e lutou contra o Caveira Vermelha na Segunda Guerra Mundial, por exemplo. Mas, certamente, essa premissa existe em algum lugar.

Para ajudar a compreender que tudo existe, basta tentar imaginar o seu oposto, o “nada“. Pode-se imaginar o nada como o escuro, talvez, mas, mesmo assim, já há algo lá: a escuridão! Tem também o espaço em que essa escuridão está! Conseguem imaginar algo não sendo?

Eu li um artigo cujo(a) nome do autor(a) eu não encontrei, mas, que tenta definir um “Nada Absoluto“. Ele(a) chegou à conclusão que seria impossível, em outras palavras, é o mesmo que dizer que o “existir” é absoluto. Quem quiser ler o artigo, clique aqui. Excetuando por alguns ponto que discordo, é um texto bem interessante, e recomendo sua leitura (inclusive, tem continuação aqui). Porém, ela vai construindo um raciocínio que acaba chegando em Deus, que, para meu artigo, é a Mente Superior onisciente que mencionei no início desta postagem.

Esse Ser, por ser onisciente, já sabe de todas as possibilidades de existências, desde inventos futuros até formas de vidas que irão existir. E é  Ele quem inspira os inventores a criar, bem como os compositores/músicos, artistas, pintores, poetas, etc., como disse anteriormente. E isso, não se refere somente à nós, mas, também a todas as existências que sequer sonhamos que existem.

Alguns poderão indagar: “Mas, espera! E antes da existência dessa Consciência? Se tudo existe, e esse tudo veio dEle, significa que antes dEle existir, havia o nada, certo?”.

Tempo, a Quarta Dimensão!
Tempo, a Quarta Dimensão! – Imagem retirada deste blog.

Bem, usar a palavra “antes“, remete a tempo em forma linear. Todavia, o tempo não é linear. O espaço é entendido por nós como as três dimensões (largura, altura e profundidade), afinal, estamos na terceira dimensão. O tempo, que é a quarta dimensão, não pode ser compreendido por nós, por isso, o organizamos em nossa mente de forma linear. Todavia, para um ser de dimensões superiores, o tempo é só mais uma linha/dimensão. O que chamamos de passado, presente e futuro, está tudo junto, numa mesma dimensão. O site “Somos Todos Um” tem um artigo que explica bem isso, além de falar da ascensão de nosso planeta (Terra, ou Gaia) para a Quinta Dimensão, e sobre os que vão e os que ficarão por aqui.

Em outras palavras, Quem chamamos de Deus, sempre existiu, pois, é atemporal. Afinal, Ele está acima de qualquer dimensão, bem como nós mesmos (não falo do nosso corpo material, e sim de nossa Consciência). Por isso, não é possível encontrarmos o não existir. Na verdade, não existe o não existir, pois, se existisse, já não seria mais o não existir, por estar existindo. Simplificando: tudo existe!

Para encerrar, vou deixar um vídeo do Canal do PAVA, do Pedro Bianchini Pavanello, onde ele discorre esse assunto da melhor forma possível: indagando! O assunto em questão está aos 11:33 do vídeo, porém, recomendo assistir o vídeo inteiro, pois, ele trata de vários assuntos interessantíssimos!

Bom, por hoje é só!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!