Sem Etiqueta!

Post escrito originalmente em 4 de abril de 2015.


Olá a todos! 🙂 Como vão?

No post de hoje transcrevo um e-mail que recebi da querida Ry~chan, alguns séculos atrás! ^-^ Aliás, tenho vários e-mails interessantes guardados, não só dela, quanto de várias pessoas. Acho uma pena que as mensagens não sejam mais enviadas por e-mail (era legal, desde que não seja em exagero!), creio eu que seja culpa do Facebook.

Bom, vamos ao e-mail, ele estava em Power Point, apenas peguei o texto, que é meio longo, mas vale a pena.

Sem Etiqueta!
Sem Etiqueta! – Montagem feita por mim, às pressas, com imagens retiradas destes sites: violino; etiqueta; diamante; coração.

“A nota é internacional e diz, mais ou menos assim:

‘Aquela poderia ser mais uma manhã qualquer. Eis que o sujeito desce na estação de metrô de Nova Iorque, vestindo jeans, camiseta e boné. Encosta-se próximo a entrada. Tira o violino da caixa e começa a tocar com entusiasmo para a multidão que passa por ali, bem na hora do rush matinal.

Mesmo assim, durante 45 minutos em que tocou, foi praticamente ignorado pelos passantes.

Ninguém sabia, mas o músico era Joshua Bell, um dos maiores violinistas do mundo, executando peças musicais consagradas, com um instrumento raríssimo, um Stradivarius de 1713, estimado em mais de 3 milhões de dólares.

Alguns dias antes, Bell havia tocado no Symphony Hall de Boston, onde os melhores lugares custaram a bagatela de mil dólares.’

A experiência no metrô, gravada em vídeo, mostra homens e mulheres de andar ligeiro, copo de café na mão, celular no ouvido, crachá balançando no pescoço, indiferentes ao som do violino.

A iniciativa, realizada pelo jornal The Washington Post, era de lançar um debate sobre valor, contexto e arte. A conclusão é de que estamos acostumados a dar valor às coisas, quando estão num contexto. Bell, no metrô, era uma obra de arte sem moldura. Um artefato de luxo sem etiqueta de grife.

Esse é mais um exemplo daquelas tantas situações que acontecem em nossas vidas, que são únicas, singulares e que não damos importância, porque não vêm com a etiqueta de preço.

Afinal, o que tem valor real para nós, independentemente de marcas, preços e grifes? É o que o mercado diz que podemos ter, sentir, vestir ou ser?

Será que os nossos sentimentos e a nossa apreciação de beleza são manipulados pelo mercado, pela mídia e pelas instituições que detêm o poder financeiro?

Será que estamos valorizando somente aquilo que está com etiqueta de preço?

Uma empresa de cartões de crédito vem investindo, há algum tempo, em propagandas onde, depois de mostrar vários itens, com seus respectivos preços, apresenta uma cena de afeto, de alegria e informa: ‘Não tem preço’.

E é isso que precisamos aprender a valorizar. Aquilo que não tem preço, porque não se compra.

Não se compra a amizade, o amor, a afeição. Não se compra carinho, dedicação, abraços e beijos. Não se compra raios de sol, nem gotas de chuva. A canção do vento que passa sibilando pelo tronco oco de uma árvore é grátis.

A criança que corre, espontânea, ao nosso encontro e se pendura em nosso pescoço, não tem preço. O colar que ela faz, contornando-nos o pescoço com os braços não está a venda em nenhuma joalheria. E o calor que ela transmite dura o quanto durar a nossa lembrança.

O ar que respiramos, a brisa que embaraça nossos cabelos, o verde das árvores e o colorido das flores nos é dado por Deus, gratuitamente.

Pensemos nisso e aproveitemos mais tudo que está ao nosso alcance, sem preço, sem patente registrada, sem etiqueta de grife.

Usufruamos dos momentos de ternura que os amores nos ofertam, intensamente, entendendo que sempre a manifestação do afeto é única, extraordinária, especial.

Fiquemos mais atentos ao que nos cerca, sejamos gratos pelo que nos é ofertado e sejamos felizes, desde hoje, enquanto o dia nos sorri e o sol despeja luz em nosso coração apaixonado pela vida.”

(Texto de Ana Maria Jr., a partir de comentários de Willian Hazlitt, que circula na internet.).

Joshua Bell
Joshua Bell – Imagem retirada deste site.

Este texto, apesar de já ter alguns anos, continua atual, pois ainda vivenciamos, talvez ainda mais do que naquela época, a valorização das marcas. Muitos dão importância em demasia para elas. Uma marca de grife renomada e reconhecida agrega valores aos produtos/serviços, sem dúvida. E, não há mal em reconhecer isso. No entanto, o problema está no foco. Será que não se foca demais no valor das marcas? E, assim, não se está esquecendo de reparar em outros tesouros mais importantes?

Eu, particularmente, não ligo muito para marcas, por isso, não compreendo muito bem como a maioria pensa/sente em relação a estas. No geral, não me importo muito quais marcas são famosas e chiques, e quais são menos conceituadas. Consumo as coisas de que eu gosto, independentemente de sua etiqueta.

No entanto, como diz o texto, as preciosidades mais essenciais em nossa vida não possuem preço, nem marca. Seu valor é tão alto que é inestimável, embora possamos ter gratuitamente. Apesar disso, muitas vezes não reparamos nestas “valiosidades”. O caso contado no início do e-mail é um excelente exemplo.

As pessoas que foram assistir Joshua Bell no Symphony Hall, será que elas realmente apreciam sua música? Será que elas fecham os olhos para sentir as ondas de sentimentos que elas passam? Ou foram lá só porque é um famoso violinista, e por ser uma apresentação cujo preço do ingresso era alto sendo algo chique? Ou seja, por conta da “etiqueta de marca” que representava aquela apresentação?

Claro, estou questionando isso, porém, sei que existem os que amam a música, o violino e/ou são fãs de Joshua Bell.

Quando este mesmo músico tocou no metrô, pergunto-me se alguém que estava em sua cara apresentação passou por lá sem reparar nele. E, mesmo em relação às demais pessoas que transitaram pelo local, imagino eu que algumas delas apreciem o tipo de música que ele tocou, porém, porque ninguém notou?

Isso é algo que deveríamos nos preocupar. Cada pessoa está tão focada em si mesmo, que acaba não enxergando o seu redor, e isso inclui as pessoas que nos são importantes. Quantas pessoas não se concentram tanto no trabalho que esquecem-se da família, cônjuge, amigos? Percebendo o vazio deixado somente quando perdem estas inestimáveis pessoas?

Acredito que é importante parar um pouco, reparar no que há ao redor: as pessoas, a paisagem (seja natural ou urbana), o céu, as flores, os sons (a música de um violinista famoso tocando no metrô, por exemplo), etc. Praticar mais o sentir, ao invés do pensar.

Devemos atentar mais para quem nos é importante, se interessar mais por elas, saber se estão bem, se estão com problemas, se têm sonhos, quais são seus medos, tristezas, traumas. Será que a pessoa mais importante de sua vida não está precisando de um abraço, e você, por estar ocupado com o trabalho/estudo/ou qualquer outra coisa, não está notando?

Esforçando-se no trabalho, é possível enriquecer e comprar todas as melhores coisas do mundo, das melhores marcas! No entanto, além de poder prejudicar a própria saúde, não trará a felicidade, nem para si, nem para quem se ama, pois nem a joia mais cara e nem os produtos melhores conceituados do mundo substituem a companhia de quem amamos. Empenhar-se para dar uma vida confortável à família é uma atitude louvável, desde que não o(a) tire da companhia da mesma.

Outro ponto que o texto aborda brevemente também, é sobre a manipulação dos sentimentos e comportamentos pela mídia/mercado. De fato isso ocorre, assim como em relação ao “padrão de beleza“, que nos é imposto. No entanto, não atribuo a “culpa” desse fato à mídia somente, mas também às pessoas que se deixam influenciar. Penso eu que é preciso se conscientizar e filtrar o que a mídia nos joga. Ainda mais nos dias atuais, onde a quantidade de informação é colossal, graças à internet. É preciso destacar em nossas mentes o que é realmente importante para si mesmo, e dar prioridade para isso.

As marcas/etiquetas possuem seu valor, sua importância e sua função sim. No entanto, não devemos permitir que a importância desta se sobreponha ao que realmente é valioso para nós. As pessoas que amamos, a beleza das paisagens, a Mãe Natureza e as sensações que Ela nos permite ter, o observar, o ouvir, o sentir, o viver.


CURIOSIDADE:

Um vídeo do teste feito com Joshua Bell:

Durante os 45 minutos em que ele tocou, estima-se que passaram cerca de 1.100 pessoas no metrô. Vinte pessoas chegaram a deixar um dólar para o músico, no entanto, sem parar para ouvi-lo, apenas seis pessoas pararam por uns minutos. Ele coletou 32 dólares.

Quem mais prestou atenção no violinista e sua arte foram as crianças. Porém, as mães acabavam puxando-as sem sequer olhar para ele. As crianças ainda possuem uma percepção e curiosidade peculiar e admirável! Devemos aprender com elas.


Este assunto pode ser expandido, para a forma que as pessoas rotulam tudo, inclusive outras pessoas. Todavia, deixarei para abordar este assunto em uma outra postagem.

Bom, por hoje é só!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

[Poesia] Poesia do Amar

Post escrito originalmente em 15 de setembro de 2015.


Olá pessoas! 🙂 Como andam?

Hoje estou a postar mais uma poesia minha. Espero que gostem!

Poesia do Amar
Poesia do Amar – Imagem retirada deste site.

 

Poesia do Amar Poesia: Poesia do Amar

 

O amar deve-se começar pelo amanhecer. Não o amanhecer do sol na Terra, mas sim o amanhecer do Sol em dois corações. Assim, o amor noturno pode ser apreciado com maior deleite.

Por hoje é só!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

[SEICHO-NO-IE] Amar verdadeiramente

Post escrito originalmente em 15 de julho de 2011.


Olá para todos!! 🙂 Como vão?

Hoje, mais uma vez, vou comentar uma citação da SEICHO-NO-IE! Meus posts estão mais rápidos ultimamente por falta de tempo mesmo! Quando tiver mais sossegado, escreverei posts mais elaborados.

Bom a citação de hoje é a seguinte:

Amar verdadeiramente
Amar verdadeiramente – Imagem retirada deste site.

Amar é ver somente o lado positivo da pessoa.

Veja somente o lado positivo das pessoas.
O amor nos faz ver o lado positivo das pessoas.
Quem vê apenas o lado negativo dos outros cria um inferno para si próprio. Todas as pessoas têm o lado positivo e negativo, possuem qualidades e defeitos.
E, quando reparamos nos defeitos, estes parecem manifestar-se de modo mais acentuado.
(Taniguchi Masaharu – Livro: Assim se Concretiza o Amor )

De fato, todos nós temos qualidades e defeitos! Porque será que a maioria das pessoas reparam nos defeitos das outras, ao invés das qualidades? E, pior, criticam esses!

Todas as pessoas são maravilhosas, se soubermos olhá-las de modo correto. Tentar encontrar as qualidades das pessoas ao invés dos defeitos é um hábito muito bom, onde o maior beneficiado é si mesmo. Melhor ainda se a elogiarmos.

Devemos amar à todas as pessoas, reparar nas qualidades destas e assim, tendo bons pensamentos em relação a elas. Como consequência, receberemos também boas energias, bons pensamentos e pessoas boas aparecerão em nossas vidas, segundo a Lei da Atração.

Para explicar melhor esta lei, digo que somos todos um, parte de uma mesma essência de Luz perfeita (podem chamar de Deus, se quiserem!). Sendo assim, tudo o que fazemos para o próximo, na verdade, estamos fazendo a nós mesmos. Por isso, antes de criticar alguém, prepare-se para ser criticado. Caso não goste disso, então, evite fazê-lo para com o outro.

Esse é um dos significados de amar verdadeiramente!

Bom, vou encerrando por aqui!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

[Poesia] Isso é o verdadeiro amar?

Post escrito originalmente em 22 de março de 2016.


Olá a todos, novamente! 🙂 Estão bem?

Depois de vários posts adultos, vamos voltar ao tom normal deste blog! xD Transcrevo aqui mais uma poesia minha!

Isso é o verdadeiro amar?
Isso é o verdadeiro amar? – Imagem retirada deste site.

 

Isso é o verdadeiro amar? Poesia: Isso é o verdadeiro amar?

 

* Vega e Altair são duas estrelas que representam o casal Hikoboshi e Orihime, respectivamente, em uma lenda japonesa. Apesar de poderem se ver apenas uma vez por ano, o amor deles é genuíno e persistente.

Bom, por hoje é só!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

Coração Perfeito

Post escrito originalmente em 06 de março de 2012.


Olá para todos! 🙂 Como vão?

No post de hoje vou falar sobre o que é um coração perfeito. Inspirei-me em uma imagem que vi na página Retalhos, do Facebook:

Coração Perfeito

Para vocês, o que é um coração perfeito? Seria um coração liso, sem um arranhão, intacto, “perfeito”? Para mim, o verdadeiro coração perfeito é aquele cheio de buracos e feridas.

Os que se orgulham de ter um coração sem um arranhão, acreditando que este é perfeito, não entendem o quão maravilhoso é doar-se e/ou amar alguém!

A cada pessoa que amamos, damos um pedacinho do nosso coração, muitas vezes não recebemos de volta um pedaço do coração dessa pessoa, ou recebemos em tamanho diferente. Outras vezes recebemos de alguém inesperado… Às vezes, nos ferimos, às vezes machucamos quem amamos e nos magoamos com isso. Mas, tudo isso é uma prova de que esses sentimentos preciosos existiram/existem.

Assim, talvez o nosso coração fique realmente cheio de emendas, buracos, feridas e irregularidades, mas quem tem o coração assim, é mais feliz, pois sabe o que é realmente amar alguém, e a felicidade que sentimos em amar sem esperar nada em troca!

Cada ferida, cada marca, cada buraco em nosso coração é uma prova de que alguém importante passou pela nossa vida!

Há uma pequena historinha que fala sobre isso! (Não havia colocado na postagem original, em meu blog antigo). Eu a recebi por e-mail em setembro de 2011, de minha querida Aline T. R.:

Um Belo Coração
Imagem retirada deste site.

Um Belo Coração

Para que tenhamos um coração belo é preciso saber  o que é a verdadeira beleza e como conquistá-la!

Um jovem estava no centro da cidade, proclamando ter o coração mais belo da região. Uma multidão o cercou e todos admiraram o seu coração. Não havia marca ou qualquer outro defeito. Todos concordaram que aquele era o coração mais belo que já tinham visto. O jovem ficou muito orgulhoso por seu belo coração.

De repente, um velho, aliás, um Idoso, apareceu diante da multidão e disse:

-“O coração do jovem não é tão bonito quanto o meu!”

A multidão e o jovem olharam para o coração do idoso, que estava batendo com vigor, mas tinha muitas cicatrizes.

O jovem olhou então para o idoso e disse:

-“O senhor deve estar brincando… Compare nossos corações. O meu está perfeito, intacto e o seu é uma mistura de cicatrizes e buracos!”

-“Sim! – disse o idoso. – Olhando, o seu coração parece perfeito, mas eu não trocaria o meu pelo seu. Veja, cada cicatriz representa uma pessoa para a qual eu dei o meu amor. Tirei um  pedaço do meu coração e dei para cada uma dessas pessoas. Muitas delas deram-me também um pedaço do próprio coração para que eu colocasse no meu, mas, como os pedaços não eram exatamente iguais, há irregularidades. Mas eu as estimo, porque me fazem lembrar do amor que compartilhamos. Algumas vezes, dei pedaços do meu coração a quem não me retribuiu. Por isso, há buracos. Eles doem. Ficam abertos, lembrando-me do amor que senti por essas pessoas… Um dia espero que elas retribuam, preenchendo esse vazio. E então, jovem? Agora você entende o que é a verdadeira beleza?”

O jovem ficou calado e lágrimas escorreram pelo seu rosto. Aproximou-se do idoso, tirou um pedaço do seu perfeito e jovem coração e ofereceu ao velho, que retribuiu o gesto. O jovem olhou para o seu coração, não mais perfeito como antes, porém mais belo que nunca. Os dois se abraçaram e saíram caminhando lado a lado.

Como deve ser triste passar a vida com o coração intacto!

Do meu Coração, eu retirei este pedacinho especial para você! Guarde-o, com carinho!

Bom, por hoje é só!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

O amor nos tempos modernos

Post escrito originalmente em 15 de fevereiro de 2013.


Olá amigos! Como vão? 🙂

Neste post quero transcrever um texto maravilhoso escrito pela minha querida colega da faculdade Keissy. Espero que gostem!

Como deveria ser o amor...
Imagem retirada deste site.

O amor nos tempos modernos

Eu acredito no amor.
Sim, percebo minha ousadia ao afirmar isso.
Em tempos que falar de amor se tornou algo chato, ultrapassado e aquela velha história, na qual os casais se amavam e eram felizes para sempre, já não faz mais sucesso na televisão ou nas telas do cinema.
O público, como diz a mídia, prefere algo mais “inovador”.
E então, colocam mulheres seminuas e homens malhados exibindo suas vidas, se “pegando”, se desrespeitando, falando palavrões, fazendo gritarias. A mulher que trai o cara com o seu melhor amigo. O homem que só quer saber de “se dar bem”, se é que me entendem.
Mas sim, repito, eu acredito no amor.
Aquele que é construído, conquistado, cuidado.
Aquele que só existe quando há duas pessoas comprometidas em fazê-lo crescer e perpetuar-se.
As pessoas culpam o casamento, o namoro, a chuva ou os relâmpagos, mas esquecem-se que um relacionamento só existe porque há nele seres humanos envolvidos.
E não há felizes para sempre que aguente um casal que não está junto nessa batalha.
É preciso querer que dê certo. E, acredite, você vai precisar abrir mão algumas vezes, vai precisar de muita paciência, muita compreensão, companheirismo, respeito, diálogo, senso de humor para rir de si, e de toda aquela situação bizarra que precisarão passar, vai precisar enxugar as lágrimas do outro e não apenas as suas, vai ter que se preocupar com seu sorriso e também com seu silêncio, vai aprender a criar aquela tal intimidade que todos falam, mas que só é real quando se aprende a perceber não apenas a si, mas o outro e tudo que os cercam.
E esse é um grande desafio.
O grande erro das pessoas é acreditar que dizer que ama já é o bastante, enquanto que é no dia a dia,
nos obstáculos, na cara amarrada do outro, nas “tpms” insuportáveis, nas reclamações sem sentido,
que se ama pra valer. E aí, se decepcionam, metem os pés pelas mãos, e ali está, mais um conjunto de juras de amor eterno indo por água abaixo.

E, então, você escuta que o amor é uma grande brincadeira, uma farsa.
E eu respondo, o amor é o sentimento mais sublime que existe. O problema não está no amor, está nas pessoas com quem você se relaciona e ponto final.

Keissy K.

Post original aqui.

Lindo texto, não? São pessoas que tem pensamentos como os dela que são a esperança da existência do amor verdadeiro, nos dias de hoje.

Lembrar que amar alguém é diferente de atração física/sexual ou por motivos supérfluos. Amar é aceitar o outro como ser humano, com suas qualidades e defeitos. Gostar dessa pessoa por ela ser quem é, independentemente de seus pertences e/ou títulos.

Esquecer o amor egoísta, que enxerga somente o “eu”: os meus sentimentos, as minhas vontades, o meu sofrimento, a minha felicidade, os meus desejos, etc., e relembrar o significado de amar, ou seja, dois sendo um. Portanto, preocupar-se e entender a(o) minha (meu) parceira(o), os sentimentos dela(e), as vontades dela(e), o sofrimento dela(e), a felicidade dela(e), os desejos dela(e)…. E, transformar tudo isso em NOSSO sentimento, NOSSA vontade, NOSSO sofrimento, NOSSA felicidade, NOSSO desejo.

Aprender a ceder para ver o sorriso da pessoa amada é uma prova de amor que vale mais do que mil palavras. Porém, para ceder, é preciso conhecer de verdade a(o) parceira(o). Não só saber o nome, idade, endereço e contatos.

No entanto, deve atentar-se para o caso de um dos lados estar cedendo muito mais que o outro. Equilíbrio é a chave para a harmonia, e para isso, o diálogo, junto com a confiança mútua, é o ingrediente principal. O casal que sempre dialoga (e não discute/briga) tem maiores probabilidades de dar certo e serem felizes.

Falando em confiança, é preciso lembrar que esta também deve ser algo compartilhado e mútuo. Vejo pessoas reclamando que seu parceiro(a) não confia nelas, no entanto, suas atitudes não permitem que haja esta confiança. Chega a ser contraditório. Bom senso é necessário, nessas horas.

A humanidade deve se lembrar que dizer “te amo“, dar um beijo na boca, ir para a cama… São todos demonstrações de amor verdadeiro, e não ferramentas para a satisfação de seus prazeres egoísticos. Discorro um pouco sobre isso, neste post.

Devem se lembrar que amar e ser amado é uma grande responsabilidade. Pois estamos lidando com sentimentos de alguém, algo de valor inestimável. Para cuidar e proteger este tesouro, é preciso enfrentar adversidades e atritos, enfrentar diferenças, dialogar, ter a força de vontade de superar tudo os dois JUNTOS. Essa força de vontade só existe quando há amor verdadeiro. Entre um casal, o EU não deve sobressair mais do que o NÓS!

Minha intenção era só acrescentar um breve comentário meu sobre o maravilhoso texto da Keissy, mas acabei escrevendo outro texto! ^.^

Vou parando por aqui!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

[Poesia] Nosso Verdadeiro Amar

Post escrito originalmente em 30 de abril de 2016.


Olá a todos! 🙂 Tudo bem?

Estou repostando uma poesia minha, de meu antigo blog!

Nosso Verdadeiro Amar
Imagem retirada deste site.

 

Nosso Verdadeiro Amar
Poesia: Nosso Verdadeiro Amar

 

Quando se encontra um verdadeiro amar, o mundo parece mais colorido e vívido. Torna-se uma verdadeira motivação de viver que, quando recíproco, fortalece ambos.

Por hoje é só!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

Um homem Inteligente Falando das Mulheres

Post escrito originalmente em 01 de junho de 2012.


Olá pessoal! 🙂 Como estão?

No post de hoje trago um e-mail interessante que recebi faz um tempo, com um texto de Luiz Fernando Veríssimo.

Um homem inteligente falando das mulheres
Foto retirada deste blog.

Um homem Inteligente Falando das Mulheres

O desrespeito à natureza tem afetado a sobrevivência de vários seres e entre os mais ameaçados está a fêmea da espécie humana.
Tenho apenas um exemplar em casa, que mantenho com muito zelo e dedicação, mas na verdade acredito que é ela quem me mantém. Portanto, por uma questão de auto-sobrevivência, lanço a campanha ‘Salvem as Mulheres!’
Tomem aqui os meus poucos conhecimentos em fisiologia da feminilidade a fim de que preservemos os raros e preciosos exemplares que ainda restam:

Habitat
Mulher não pode ser mantida em cativeiro. Se for engaiolada, fugirá ou morrerá por dentro. Não há corrente que as prenda e as que se submetem à jaula perdem o seu DNA. Você jamais terá a posse de uma mulher, o que vai prendê-la a você é uma linha frágil que precisa ser reforçada diariamente.

Alimentação correta
Ninguém vive de vento. Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem, sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro. Beijos matinais e um ‘eu te amo’ no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia. Um abraço diário é como a água para as samambaias. Não a deixe desidratar. Pelo menos uma vez por mês é necessário, senão obrigatório, servir um prato especial.

Flores
Também fazem parte de seu cardápio – mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade.

Respeite a natureza
Você não suporta TPM? Case-se com um homem. Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia, discutir a relação? Se quiser viver com uma mulher, prepare-se para isso.

Não tolha a sua vaidade
É da mulher hidratar as mechas, pintar as unhas, passar batom, gastar o dia inteiro no salão de beleza, colecionar brincos, comprar muitos sapatos, ficar horas escolhendo roupas no shopping. Entenda tudo isso e apoie.

Cérebro feminino não é um mito
Por insegurança, a maioria dos homens prefere não acreditar na existência do cérebro feminino. Por isso, procuram aquelas que fingem não possuí-lo (e algumas realmente o aposentaram!). Então, aguente mais essa: mulher sem cérebro não é mulher, mas um mero objeto de decoração. Se você se cansou de colecionar bibelôs, tente se relacionar com uma mulher. Algumas vão lhe mostrar que têm mais massa cinzenta do que você. Não fuja dessas, aprenda com elas e cresça. E não se preocupe, ao contrário do que ocorre com os homens, a inteligência não funciona como repelente para as mulheres.

Não faça sombra sobre ela.
Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda.

Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar. O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo.

É, meu amigo, se você acha que mulher é caro demais, vire gay.
Só tem mulher quem pode!
Luiz Fernando Veríssimo

Acredito que o público feminino deve vibrar com este texto! ^.^

Eu mesmo, concordo com boa parte dele! E parte dele deve ser recíproco. Digo isso, pois lendo-o dá a impressão que somente o homem deve se esforçar e demonstrar sentimentos para que a mulher brilhe (e isso é fato!), mas a mulher também deve se esforçar para que ambos possam brilhar juntos! Ao meu ver, num relacionamento, a mulher completa o homem e o homem completa a mulher! Da harmonia dos dois, nasce a felicidade.

~> “Mulher não pode ser mantida em cativeiro. Se for engaiolada, fugirá ou morrerá por dentro. Não há corrente que as prenda e as que se submetem à jaula perdem o seu DNA. Você jamais terá a posse de uma mulher, o que vai prendê-la a você é uma linha frágil que precisa ser reforçada diariamente.

Isso vale para ambos! Ninguém é posse de ninguém! Vejo homens achando que é “dono” de sua mulher, mas também vejo o contrário! O amor possessivo é o mais comum nos dias de hoje! Quem ama liberta! E se for recíproco, a outro fica mesmo livre!

~> “Ninguém vive de vento. Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem, sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro. Beijos matinais e um ‘eu te amo’ no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia. Um abraço diário é como a água para as samambaias. Não a deixe desidratar. Pelo menos uma vez por mês é necessário, senão obrigatório, servir um prato especial.

Perfeitamente! Dar carinho à mulher que ama é essencial! Aliás, não entendo os homens que não o fazem! É tão gostoso dar carinho à mulher que amamos! No entanto, o oposto também é necessário! Por mais carinhoso que um homem seja, se a mulher não o retribui, é ele quem acaba “secando” (por isso digo que é valido para os dois lados). Só discordo com a parte “e se ela não receber de você vai pegar de outro“, traição nunca é correto (discorri sobre isso em um outro post, onde contrario parcialmente um adorado texto de Arnaldo Jabor.). Quem ama de verdade não trai, se há insatisfação com relação ao parceiro(a), deve-se dialogar para solucionar a questão. Para isso, ambos devem estar sempre abertos e receptivos à conversa, e ambos devem estar interessados em conhecer as angústias e problemas um do outro. Se não houver acordo, e tiver a pretensão de trair, antes disso, termine o relacionamento. Isso é questão de caráter.

~> “Também fazem parte de seu cardápio – mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade.

Não tenho nem o que comentar! Verdade absoluta! Embora haja mulher que recuse flores, sem pensar nos sentimentos de quem a está presenteando (mais uma vez, quando não há reciprocidade…).

~> “Você não suporta TPM? Case-se com um homem. Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia, discutir a relação? Se quiser viver com uma mulher, prepare-se para isso.

Outra verdade! Devemos ser compreensivos com as necessidades e fraquezas da pessoa que amamos! Todos sabem que algumas mulheres ficam instáveis e sensíveis em época de TPM. Ao invés de achar ruim, compreenda! Acolha ela em seus braços e escute o que ela tem para dizer! Se você a ama, será um grande prazer amparar suas angústias. E deve-se fazer isso, não só durante o TPM, mas sempre! As mulheres têm sim um emocional diferente dos homens! Saber disso é essencial para trazer felicidade à mulher amada!

~> “É da mulher hidratar as mechas, pintar as unhas, passar batom, gastar o dia inteiro no salão de beleza, colecionar brincos, comprar muitos sapatos, ficar horas escolhendo roupas no shopping. Entenda tudo isso e apoie.

Faço o mesmo comentário do trecho anterior. E acrescento: Quando ela se arruma de forma especial, elogie sinceramente! E outra! É por ela ser vaidosa que elas possuem um “tempero especial” que encantam e enfeitam a vida do homem! Privá-la disso é besteira. (Claro, vaidade em exagero também não é saudável).

~> “Por insegurança, a maioria dos homens prefere não acreditar na existência do cérebro feminino. Por isso, procuram aquelas que fingem não possuí-lo (e algumas realmente o aposentaram!). Então, aguente mais essa: mulher sem cérebro não é mulher, mas um mero objeto de decoração. Se você se cansou de colecionar bibelôs, tente se relacionar com uma mulher. Algumas vão lhe mostrar que têm mais massa cinzenta do que você. Não fuja dessas, aprenda com elas e cresça. E não se preocupe, ao contrário do que ocorre com os homens, a inteligência não funciona como repelente para as mulheres.

Acreditar que mulher não tem inteligência é puro machismo. Ambos possuem a mesma capacidade, pois são igualmente humanos. Os dois devem aprender um com o outro e crescerem juntos! Acho ridículo essa “competição” homem x mulher.

~> “Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda.

Muito bom! Como disse anteriormente, o casal deve caminhar juntos! Não o homem na frente, nem a mulher na frente (como desejam algumas feministas extremas)… Devem estar lado a lado, de mãos dadas, enfrentando juntos as adversidades, sempre aprendendo e crescendo juntos!

Atualmente, vejo muito homem se sentir diminuído quando a mulher tem um salário maior, ou o contrário, mulher que se sente inferior por não trabalhar ou por ganhar menos. Vejo também, ele ou ela dizendo “meu dinheiro” e “seu dinheiro”. Acho que se existe esse pensamento, mesmo com aliança e bênção do padre, este casal não está casado de verdade. Acredito que, num casamento, não existe “meu” dinheiro… Existe o “nosso” dinheiro! A “nossa” casa! A “nossa” vida! Casamento é união! Não existe maior e menor, melhor e pior… Os dois estão juntos!

~> “Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar. O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo.

Só reforçando minha opinião! ^.^

Para facilitar, pensem assim: Eu gosto de receber carinho da pessoa que amo? Então darei carinho à esta pessoa! (Pois certamente, ela também gosta). Eu procuro essa pessoa que amo quando preciso compartilhar problemas e alegrias? Então, quando essa pessoa precisar, esteja presente! (Pois tudo deve ser recíproco e sincero!). É simples! Apenas a lei de ação e reação sendo aplicada! Se um dos lados falhar muito nisso, o amor verdadeiro deixa de se manifestar e a felicidade do casal pode correr sérios riscos.

Bom, por hora é só!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços à todos!

Amor

Post escrito originalmente em 18 de abril de 2011.


Olá a todos! Como vão? 🙂 Passaram bem o final de semana?

O assunto de hoje é um sentimento, que é conhecido por ser o mais nobre de todos! Seu nome é amor! Mas, o que é o amor? Qual seria a melhor definição? Acho que esta pergunta é feita por muitos, pelo menos em alguma fase da vida.

Amor
Amor – Imagem retirada deste site.

Ao meu entender, amor não se define, pois não é uma razão e sim uma emoção, então deve ser sentida e não compreendida. Já pensei muito sobre isso, e essa foi a melhor conclusão que tive até hoje!

No entanto, se for pra definir, a melhor que eu encontrei foi:

Amar alguém não é apenas cuidar daquilo que está à sua frente. É lembrar o passado e cuidar do futuro e saber abraçá-los juntos.” (TAKAYA, Natsuki.Fruits Basket)

Takaya Natsuki
Takaya Natsuki

Pode-se dizer que amar tem como característica principal o doar incondicional. Isso, somado a outros “ingredientes“, como, por exemplo, a vontade de ver a pessoa amada feliz, a anulação do ego em prol do bem estar do outro, a vontade de saber mais sobre a(o) amada(o), e aquela sensação incontrolável de querer ser um com ela(e).

Além disso, pode-se dizer que todos os demais sentimentos derivam do amor. Alguns podem questionar: “mas como assim? E o ódio? E o egoísmo? E o… etc.?”.

Isso fugiria do assunto sobre a definição de amor, mas só para exemplificar, o ódio é decorrente da falta de amor. Algumas vezes, ele nasce da frustração de ser rejeitado, ignorado ou não reconhecido pelo ser amado(a). Outras vezes, é algo ou alguém que se amava de todo o coração, mas por alguma razão, causou uma grande decepção (como uma traição, por exemplo), ou que tenha machucado de forma profunda. No entanto, é decorrente do amor. Talvez, futuramente, eu faça um post falando mais sobre isso.

Há quem defina o amor como sinônimo de Deus, que ao meu ver, não está errado. Afinal, para quem acredita, Ele ama incondicionalmente a todos. Apesar de ter um poder incompreensível para nós, Ele não julga, não critica, não impõe nada, apenas ama. Seu amor é expresso em dádivas, como o ar que respiramos, a água que temos para mitigar a sede, todos os recursos naturais que temos à disposição (tanto para o nosso conforto, quanto para nossa alimentação), etc. E Ele não nos cobra nada, não nos obriga a nada, pelo contrário, nos dá o livre-arbítrio para seguirmos o caminho que desejarmos (mas é claro, temos que arcar com as consequências das nossas escolhas, e isso não é castigo divino, é apenas colher o que plantou.). Essa forma de amar, que as religiões descrevem como característica de Deus, é uma perfeita explicação sobre o amor.

Além disso, existem vários tipos de amor. O amor materno, amor paterno, amor fraterno, amor de irmãos, amor carnal, amor apego, amor de amigo, amor ao próximo, amor pela humanidade, amor à pátria, amor religioso, amor à terra natal, amor aos animais, amor a algo que se gosta (música, objeto, comida, etc.). Existem vários níveis de amor, entre todos os tipos.

Por outro lado, independentemente da definição, atualmente é possível perceber que existe uma banalização deste belo sentimento. As pessoas não entendem bem mais o que é o amor.

Hoje em dia é tão fácil dizer “te amo“. Basta um gesto, ou uma palavra de carinho de alguém mais próximo que já se diz estas palavras e, não raramente, logo partem para intimidade. A relação sexual é importante, e é, ao meu entender, a manifestação suprema do amor. Por isso, não há nada de errado em fazê-lo. Desde que seja de forma correta, ou melhor, com a pessoa certa.

O amor verdadeiro está sendo esquecido, as pessoas amam e “desamam” facilmente; namoram e separam (quando é namoro, hoje o “ficar” é mais comum do que o “namorar” e, mais recentemente, os “rolinhos” estão mais comuns do que as “ficadas”. Aliás, os relacionamentos estão cada vez com menos compromisso.); casam e divorciam…. O sentimento das pessoas está muito volúvel.

Meu objetivo com este post é tentar lembrar – inclusive a mim mesmo -, pelo menos as poucas pessoas que lerem este texto, a verdadeira essência do amor! Amar de verdade alguém é tão maravilhoso!

Quando se ama alguém de verdade (seja um amor de namorados, ou de casados, ou de amigos, ou de irmãos, ou de pais, parentes, etc.), não é possível deixar de amar tão fácil ou rapidamente! A maior parte dos amores que vejo, hoje em dia, é o chamado “amor-apego“, onde o indivíduo deseja a pessoa amada ao seu lado a qualquer custo, de preferência realizando todas as suas vontades e gostos, sem preocupar-se com os sentimentos e vontades do outro. E, quando isso não ocorre, acaba terminando em briga, violência, ou até no “descartar” a pessoa em questão.

Taniguchi Seicho
Taniguchi Seicho

O amor-apego atormenta, mas o amor que liberta vivifica. Amar não é cercear a liberdade da pessoa amada, e sim dar-lhe plena liberdade. Mas não adianta simplesmente soltá-la. Devemos soltar a pessoa amada na direção que lhe possibilite crescer correta e vigorosamente, acompanhar os seus passos e orar por ela. Libertar é um ato de doação.” (Taniguchi Seicho)

Do amor-apego, nasce o ciúmes, a inveja e a obsessão, quantas pessoas já morreram por causa do ciúmes de terceiros? Uma situação hipotética de exemplo: um rapaz conversa com sua amiga, e um terceiro que gosta dessa amiga (muitas vezes sem ela nem saber), por ciúmes agride/assassina o rapaz, que se prejudica sem saber o motivo. Ouve-se várias histórias desse tipo na mídia, e o agressor ainda afirma que suas ações foi por amor!

Agora pergunto: Desde quando um sentimento tão nobre, tão maravilhoso, tão benéfico como o amor, faria com que alguém agredisse ou assassinasse outra pessoa? Isso é egoísmo! O indivíduo, no exemplo que dei, está pensando somente nos seus próprios sentimentos, ou seja, ele tem amor por si mesmo somente. Não pensou no sentimento da garota e, muito menos no do agredido.

Esse exemplo é só para ilustrar o que quero dizer, e para dar minha opinião, não estou criticando ninguém, pois quem sou eu para julgar os outros, certo?

Concluindo, acredito que as pessoas deviam tentar amar mais sinceramente, demonstrar seu amor de forma mais pura, preocupando-se principalmente com o sentimento da pessoa amada e amar não somente no sentido de namoro ou casamento, mas também no sentido de amizades, no sentido fraternal, paternal, maternal, enfim, amar mais o próximo!

No entanto, não estou dizendo para sair dizendo “te amo” à torto direito. É isso que banaliza o amor! Assim, quando você encontrar alguém especial, que ama de corpo e alma, o que vai dizer? Já que o “te amo” é usado à todas as pessoas que você gosta? Mesmo que diga “te amo”, para essa pessoa que te conhece não significará tanto, pois ela vai pensar algo do tipo “Bom, essa pessoa diz te amo à todos! Sou só mais um(a)!”. É preciso tomar cuidado com isso!

Mural de Pessoas Especiais
Mural antigo – pessoas que me são/foram importantes!

Para fechar com chave de ouro esse post, não posso deixar de agradecer às pessoas que amo! Meus pais, que me fizeram nascer, me criaram, me cuidaram e ainda hoje olham por mim (muitíssimo obrigado!); aos familiares, dos mais próximos aos mais distantes, que direta ou indiretamente contribuíram para eu ser quem sou; aos amigos e amigas, desde os mais chegados, aos mais distantes, aos que não converso faz tempo, aos que converso mais, por todos os bons e maus momentos juntos e por todo o aprendizado que tive com vocês; aos colegas e conhecidos, que me ensinaram algo, ou apenas me deram umas palavras, ou um sorriso, muito obrigado; e às pessoas que ainda vou conhecer, muitíssimo obrigado por tudo! EU AMO TODOS VOCÊS!

Ótima semana para todos!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!