Se disser “te amo”…

Post escrito originalmente em 27 de julho de 2012.


Olá para todos! 🙂 Como vão?

No post de hoje trago um trecho de Mário Quintana, que li no Facebook.

Mário Quintana

Bem legal, né?

Como Mário Quintana disse, “a coisa mais cruel que alguém pode fazer é permitir que alguém se apaixone por você, quando você não pretende fazer o mesmo.“.

Acho que ele fala das pessoas que, mesmo percebendo que alguém está se apaixonando por elas, nada fazem para deixar claro que elas não serão correspondidas, ou até pior, alimentam falsas esperanças destas. Já ouvi muita gente dizendo que não vai dispensar, por querer ter alguém na “reserva“, o que é um ato escandalosamente horrendo e egoísta, ao meu ver.

Não temos controle dos nossos sentimentos, apaixonar-se por alguém, às vezes, é inevitável. No entanto, acredito que quando alguém se apaixona por nós, e nós não temos este mesmo sentimento por esta, o justo é deixar isto claro para outra pessoa. De forma gentil e educada, esclarecendo que não há possibilidades de haver amor, apesar de gostar da amizade (ou algo assim). Não precisa nem ser usando palavras diretas! Apenas com atitudes, ou comentários que infiram apenas amizade já devem ser suficientes.

Brincar com sentimentos das pessoas é o ato mais covarde e cruel que um ser humano pode realizar. Só o fato de não ser correspondidomachuca. Então, imaginem saber que está pessoa brincou com estes sentimentos? O tamanho da ferida causada é enorme.

Por isso, sempre digo que se for dizer “te amo“, diga para a pessoa que realmente ama! Não diga isso para conquistar um(a) ficante ou rolinho ou parceiro(a) para noite, esta pessoa pode levar a sério essas palavras e se machucar depois.

Amar alguém é desejar que o sorriso da pessoa amada brilhe, independentemente do que acontecer consigo mesmo. Caso contrário, é apenas um amor egoísta.

Bom, por hoje é só!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

[SEICHO-NO-IE] Pessoas que nos estimulam

Post escrito originalmente em 26 de fevereiro de 2012.


Olá para todos! 🙂 Como estão?

Transcrevo aqui mais um trecho da SEICHO-NO-IE, que fala sobre aquelas pessoas que só de estarmos em sua presença, nos faz um bem danado! Mas antes, quero falar de um erro meu! No último post sobre a SEICHO-NO-IE, SEICHO-NO-IE: Amor-apego x Amor que vivifica, eu postei um trecho já postado anteriormente no post SEICHO-NO-IE: O amor que liberta vivifica. Peço desculpas pela repetição… São tantos trechos que acabei me confundindo (Postagens unificadas na repostagem neste novo blog.).

Bom, o trecho de hoje é esse:

Pessoas que nos estimulam
Foto retirada deste blog.

Existem pessoas que exercem sobre os outros um efeito leve e estimulante, tal como um refrigerante no verão ou um tônico no desânimo. Quando estamos em companhia dessas pessoas, sentimos um grande bem-estar, uma sensação agradável de brisa. Elas são como um oásis para nós. Ao seu lado, conseguimos ter excelentes ideias, o que não ocorre quando estamos sozinhos.

(Taniguchi Masaharu – O Livro dos Jovens)

Essas pessoas especiais, que nos fornecem tanta energia boa, podem ser raras em nossas vidas, já que estamos acostumados a ver e enfatizar o oposto, onde parece que todos estão sempre competindo e, mesmo que apenas mentalmente, desestimulando os próximos. Todavia, se quisermos atrair muitas companhias maravilhosas como as descritas no trecho de Taniguchi, nós mesmos precisamos ser esta pessoa estimulante para quem está necessitando. Como a Cris Brightlight, do canal “COSMOS INTERIOR“, sempre diz: “Seja a fonte daquilo que você deseja”. E, ao encontrarmos esses serem magníficos, devemos estimá-los e agradecê-los sempre!

Infelizmente, ocorre muito de percebermos as pessoas que eram importantes depois que as perdemos. Por isso, é essencial que nos atentemos mais à nossa volta, desligando nosso “piloto automático“, e olhar para o que realmente importa!

Bom final de semana à todos!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

[Poesia] Isso é o verdadeiro amar?

Post escrito originalmente em 22 de março de 2016.


Olá a todos, novamente! 🙂 Estão bem?

Depois de vários posts adultos, vamos voltar ao tom normal deste blog! xD Transcrevo aqui mais uma poesia minha!

Isso é o verdadeiro amar?
Isso é o verdadeiro amar? – Imagem retirada deste site.

 

Isso é o verdadeiro amar? Poesia: Isso é o verdadeiro amar?

 

* Vega e Altair são duas estrelas que representam o casal Hikoboshi e Orihime, respectivamente, em uma lenda japonesa. Apesar de poderem se ver apenas uma vez por ano, o amor deles é genuíno e persistente.

Bom, por hoje é só!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

[SEICHO-NO-IE] Dai e ser-vos-á dado

Post escrito originalmente em 7 de maio de 2012.


Olá a todos! 🙂 Como vão?

No post de hoje trago mais uma mensagem da SEICHO-NO-IE!

Foto retirada do blog: http://jorgebichuetti.blogspot.com.br/2011/02/amor-ha-espinhos-na-rosa-ha-uma-rosa.html
Foto retirada deste blog.

Quem doa com generosidade recebe muitas bençãos.

“Devemos cultivar o espírito de doação. Só quem doa é digno de receber. Mesmo que não tenhamos algo material para dar, podemos oferecer amor, bondade, gratidão. Quem doa com generosidade recebe muitas bênçãos e desfruta de uma vida próspera.”
(Taniguchi Seicho – Para Realizar o Amor e a Oração)

As palavras de Jesus “Dai e ser-vos-á dado” resumem bem o trecho que transcrevo hoje. Assim como a Terceira Lei de Newton, da física, que é a “Ação e Reação”.

Realmente, para termos uma vida próspera, devemos contribuir com a prosperidade de outros. Quando digo contribuir, não é necessariamente com dinheiro ou bens materiais (embora seja valido também). Pode ser uma doação de carinho, atenção, afeto, gratidão… enfim, bons sentimentos. A quantas pessoas vocês doaram a sua atenção hoje? (por exemplo).

Fazendo isso, infalivelmente terá a sua “recompensa”. Prestem atenção que coloquei entre aspas. Na verdade é apenas a reação de sua ação. Sendo assim, se não for feita com sinceridade, e sentimento altruístico, isso retornará da mesma forma para você.

Por isso, devemos atentar para o fato de que ao doar algo pensando nessa “recompensa”, essa doação não é verdadeira, portanto, não haverá esse retorno da forma esperada. A verdadeira doação (seja do que for), só é válida quando feita de coração, com a vontade de ajudar o próximo. Se a doação for feita com sentimentos egoísticos, ela não surtira efeito (na verdade, atrairá coisas condizentes com estes, como por exemplo, pessoas interesseiras).

Jesus Cristo sabia muito bem disso! Por isso disse a citação que mencionei acima. O milagre da multiplicação, por exemplo, se concretizou quando ele doou gratidão a Deus pelo alimento que possuía, e por esta quantidade ser suficiente, e assim se realizou. Esse é o “efeito” do sentimento de gratidão pelo que já possuímos e do ato de doar. Chamam de milagre, mas qualquer humano pode realizar tal feito.

Jesus mesmo disse: “Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai.” (João 14:12). Ele disse “aquele que crê em mim” e também disse “porque eu vou para meu Pai“. Ou seja, crer em Jesus é crer em Deus. Segundo a SEICHO-NO-IE, Deus está dentro de cada um de nós, já que fomos criados à Imagem dEle. Portanto, se acreditarmos nas palavras “Dai e ser-vos-á dado”, assim será.

“O Livro dos Jovens” de Masaharu Taniguchi (e outros do mesmo autor) explica melhor do que eu (com certeza) essa relação dos ensinamentos da SEICHO-NO-IE com as palavras de Cristo.

Já a Terceira Lei de Newton, que é aplicada na mecânica, também pode ser aplicada aos seres humanos. Ao dedicarmos amor sincero e verdadeiro, receberemos isto também. Se dedicarmos ódio a alguém, mesmo sem nada dizer ou fazer, esta pessoa lhe retribuirá com antipatia, ou retornará de outra forma negativa.

Este é o ponto de vista que adquiri lendo os livros da SEICHO-NO-IE. E se repararmos, funciona! Já viram alguma pessoa que guarda rancor, ódio e maus sentimentos ter uma vida próspera, feliz e ser amada/querida por todos? Eu não conheço!

Bom, por hoje fico por aqui!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

[SEICHO-NO-IE] Amor-apego x Amor que vivifica

Post escrito originalmente em 24 de fevereiro de 2012. O trecho foi acidentalmente discorrido por mim em duas postagens distintas. A outra foi em 19 de outubro de 2011.


Olá a todos! 🙂 Como vão?

Hoje postarei mais um trecho dos ensinamentos da SEICHO-NO-IE!

Amor-apego x Amor que vivifica
Amor-apego x Amor que vivifica – Imagem deste site.

O amor-apego atormenta, mas o amor que liberta vivifica.

Amar não é cercar a liberdade da pessoa amada, e sim dar-lhe plena liberdade. Mas não adianta simplesmente soltá-la. Devemos soltar a pessoa amada na direção que lhe possibilite crescer correta e vigorosamente, acompanhar os seus passos e orar por ela. Libertar é um ato de doação.

(Taniguchi Seicho – Akaruku Tanoshiku Jinsei wo)

É exatamente como diz o trecho. Quem ama não aprisiona a pessoa amada, afinal, ela não é um objeto.

Muitos podem pensar “Mas se eu deixar a pessoa amada solta, outro(a) poderá tomá-la de mim!”.

Aos que pensam assim, eu vos digo: Se a pessoa que você ama deixar-se levar por outro alguém, significa que, infelizmente, esta a quem você ama, não lhe corresponde. Já ouviram falar? Quem ama, confia! (Embora eu entenda que isso causa uma dor insuportável…).

E se, por acaso, a pessoa amada amar mesmo outra pessoa, não devemos ter raiva nem rancor, ninguém manda nos sentimentos. Se amamos mesmo essa pessoa, desejamos a felicidade desta! Sendo assim, devemos torcer para que ela fique feliz, independentemente onde, como ou com quem. (Falo isso, mas na prática entendo que não é nem um pouco fácil… afinal, temos o nosso ego.).

Voltando ao assunto, quando amamos alguém, devemos estar sempre ao lado desta pessoa, apoiando e torcendo pelo seu crescimento, tanto o material quanto espiritual. Se pensarmos bem, não há necessidade de cercar a liberdade da pessoa amada, principalmente quando já se é um casal, pois, se sabemos que somos amados pelo(a) nosso(a) companheiro(a), não importa o que aconteça, a união do casal nunca se abalará! Acho que ambos os lados sabe muito bem o que se deve ou não fazer…

Bom, poderíamos prolongar o assunto falando sobre ciúmes e traição, por exemplo, mas aí fugiríamos do assunto principal.

Portanto, encerro por aqui!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

Onde está o amor? E o respeito? E a justiça?

Post escrito originalmente em 18 de março de 2012.


Olá à todos!! 🙂 Como vão?

O assunto do post de hoje me veio do nada, num momento de reflexão!

Estava reparando, como os tempos mudaram…

Onde está o amor? E o respeito? E a justiça?
Imagem retirada deste site.

Tenho saudades da época em que segurar na mão da pessoa amada nos deixava tão felizes que fazia o coração saltar pra fora de tanta felicidade. Quando um beijo era dado somente naquela pessoa especial, e este nos envolvia num sentimento mais especial ainda, uma sensação que transcende a sensação do próprio beijo. E quando o sexo era feito com amor sincero, sendo muito mais que prazer físico, era a felicidade de poder unir-se com a pessoa amada, tornando-se um com a alma gêmea. Além do prazer carnal, havia o prazer espiritual, a vontade de fazer a pessoa amada feliz. E dizer “te amo” era tão único!

Sinto falta desse conceito de amor, que quase ninguém mais tem… Hoje, segurar na mão não significa nada! Um beijo é dado a qualquer um! Beija-se muitas pessoas diferente na mesma balada! E são, na maioria das vezes, pessoas desconhecidas! Isso quando a noite não termina em sexo, que hoje é procurado para satisfação própria apenas… Podendo ser com qualquer pessoa que tenha a aparência que lhe agrade… É triste… as pessoas se tornaram objetos de dar prazer… Sem contar que diz-se “te amo” como se fosse “bom dia”! E diz-se somente para conquistar! Não há sentimentos…

Para onde foram as pessoas que ajudam os mais velhos? Sinto falta da época em que os mais velhos eram respeitados como mais sábios e experientes! Já ouvi pessoas dizendo que os velhos, por estarem velhos, não podem mais trabalhar, sendo, portanto, inúteis! Fiquei tão pasmo quando ouvi tais palavras! E o respeito? E o tanto que eles trabalharam durante a vida toda? Eles não merecem levar uma boa vida na velhice?

Saudades da época em que os ladrões só assaltavam os homens, respeitavam idosos, mulheres e crianças! Na época em que ladrão roubava pelo dinheiro apenas. Diferente de hoje, que além de roubar, agridem, ofendem, desrespeitam e matam sem necessidade. Além disso, assaltam e violentam mulheres e crianças, roubam e enganam os mais velhos…

E, quando estes eram pegos pela polícia, eram devidamente presos, recebendo a justiça, que funcionava bem melhor!

Era tão melhor antigamente… Essa é minha opinião, é claro! Sei que a grande maioria acha isso besteira! Talvez nem tanto em relação ao respeito aos mais velhos, mulheres e criança; ou à justiça. Mas quanto ao amor… Tenho certeza que a maioria prefere os dias de hoje! (Pelo que vejo, pelo menos…). Até entendo o pensamento de alguns… Já me chamaram de idiota por esperar um amor verdadeiro… Talvez seja mesmo, mas não vou mudar meus ideais e meus sonhos por conta desse “senso comum” criado pela sociedade… Só porque é “normal“, eu não preciso seguir, certo? ^.^

Não sei porque me deu vontade de escrever sobre isso, sei que já falei sobre assuntos parecidos em outros posts! Mas enfim… Se procuram um amor verdadeiro, acredito que vocês devam abandonar este ideal e atitude de se venderem apenas por prazer… #ficaadica

Bom, por hoje é só!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

A Responsabilidade de um Médico

Olá pessoal! 🙂 Como andam?

No post de hoje quero tratar de um assunto bem sério, e que deveria ser visto com mais cuidado: a responsabilidade de um médico. Todavia, isso não inclui somente aos formados em medicina, mas também aos das outras áreas da saúde, como odontologia, psicologia, fisioterapia, farmácia, etc.

A Responsabilidade de um Médico
A Responsabilidade de um Médico – Montagem feita por mim, com imagens destes sites: 01 | 02

“Ser médico é ser dedicado à medicina, é ter responsabilidade, conhecer seus limites, respeitar sua área de atuação e não se atrever a realizar procedimentos que fogem à sua especialidade. Ser médico é respeitar o paciente, preservar sua integridade, cuidar do seu corpo, zelar pela sua saúde, sua mente, sua alma.” (Diretoria da Sociedade Brasileira de Dermatologia – site aqui.)

Parece algo óbvio que esses profissionais lidam com a vida de pessoas, porém, às vezes tenho a impressão de que os próprios se esquecem disso, tratando seus pacientes como fonte de renda apenas. Alguns chegando a ser inescrupulosos a ponto de “inventar” ou “aumentar” algum tratamento que não são necessários, apenas para poder cobrar o serviço.

Eles não estão se preocupando com o transtorno causado com isso, seja financeiro, ou seja psicológico, pois creio que ninguém gosta de tratar de doença, muito menos se for desnecessariamente. Pior ainda, quando este é prejudicial, quando realizado sem precisar.

Vou dar um exemplo real de meu conhecimento (obviamente não citarei nomes). Um odontologista, após a verificação da boa saúde dentária do seu paciente, disse que o mesmo precisa fazer o clareamento dental, pois, segundo ele, estava mais amarelado do que o normal. Apesar de não achar que precisasse fazê-lo, confiando no profissional, o paciente aceitou e fez duas sessões de clareamento. Após isso, como resultado, os dentes ficaram realmente mais brancos e bonitos, mas, o odontologista havia se “esquecido” de averiguar um detalhe importante: pessoas com dentes sensíveis não podem fazer o clareamento (vide aqui). Segundo o paciente, após o tratamento, os dentes ficaram ainda mais sensíveis ao gelado e ao ácido, sentindo muitas dores mesmo tempos depois do tratamento. Aí vem a questão: o clareamento era realmente necessário para a saúde dele? O profissional se preocupou com o bem estar de seu paciente, verificando se ele podia receber esse tratamento?

Com isso, é possível compreender o tamanho da responsabilidade dos que trabalham com a saúde dos outros. Qualquer ato impensado, pode estragar a vida de alguém para o resto de seus dias. Ou, em casos mais extremos, vidas podem ser perdidas pela falta de humanidade de um médico. Será possível que a consciência de médicos assim não pese? Causar danos ou perdas ao próximo (e/ou à família deste) por dinheiro? Esta postagem traz vários exemplos de médicos inconsequentes.

Sem contar nos médicos relapsos, que estão pouco se importando com o sofrimento alheio. Neste artigo, escrito por J Ferreira, que me sensibilizou e, ao mesmo tempo, me indignou, temos um exemplo dos dois tipos de médicos: o que faz descaso para com os pacientes, e o que os atende humanamente.

A raiz disso tudo, pode estar na motivação das pessoas estarem se formando em medicina.  Há os que entram nesse mundo por motivos altruístas, o de querer ajudar e salvar vidas, o que considero verdadeiro médico. Por outro lado, existem uma quantidade razoável de estudantes que escolhem esse caminho por conta do status social que essa profissão dá, além da boa remuneração, estabilidade e do reconhecimento. Estes, de modo geral (não se pode generalizar), considero falsos médicos (mesmo que se formem devidamente e estejam aptos para medicar). Há uma pesquisa que aponta essas motivações, clique aqui.

Não estou dizendo que o médico não deva desfrutar de um bom salário, e nem que ele não possa receber o reconhecimento devido. Apenas acho que, o profissional deve fazer por merecer (assim como em qualquer outra profissão.). Ao meu ver, um (verdadeiro) médico é a profissão mais bela, honrada e admirada de todas, pois compromete-se em salvar vidas!

O problema é quando este é movido a dinheiro. Meu tataravô foi médico lá no Japão, e ele ficou famoso na época (e ainda é lembrado, tendo em vista que, quando meu tio-avô foi visitar a cidade natal, saiu até no jornal local, por ser descendente desse médico), por atender a todos sem diferença, fazendo sempre o melhor possível para ajudar a todos que precisavam dele. Além disso, quando o paciente não tinha condições financeiras, ele não cobrava (embora, posteriormente, muitos o agradecessem com algum presente, ou parte da colheita, ou algo que produzia em seus respectivos ofícios, mas tudo espontaneamente – isso chama-se reconhecimento e sentimento de gratidão.). Em outras palavras, ele era um médico de verdade (sim, tenho orgulho, apesar de não tê-lo conhecido), que queria olhar pela vida e o bem estar das pessoas. E, quem tinha dinheiro, não achava ruim que ele não cobrasse de quem não o tinha (não sei porque, mas imagino que se um médico fizesse isso por aqui, todos iriam querer ser atendidos gratuitamente, podendo até gerar falsas provas de que não tem condições para pagar (o famoso jeitinho brasileiro). Nesse ponto, entra a falta de caráter desses pacientes hipotéticos, mas isso já é outro assunto.).

Eu admiro muito a todos que trabalham pela Vida do próximo, todos os profissionais da saúde, desde o médico, até os enfermeiros, ou mesmo os farmacologistas, que estudam novas fórmulas para medicamentos mais eficazes. Acho muito bonito quando essas pessoas lutam com todas as forças para salvar vidas, ou para aliviar dores e/ou curar doenças. Imagino o quanto o coração deles devem chorar quando falham. Esses verdadeiros profissionais sim, são dignos de aplausos, merecem todo o respeito e reverência.

Médico de verdade sente.
Médico de verdade sente. – Foto retirada deste site.

Todavia, é uma pena que tenhamos que “caçar” estes em meio a tantos, para encontrar a quem possamos confiar a nossa saúde/vida.

“Eu, solenemente, juro consagrar minha vida a serviço da Humanidade. Darei como reconhecimento a meus mestres, meu respeito e minha gratidão. Praticarei a minha profissão com consciência e dignidade. A saúde dos meus pacientes será a minha primeira preocupação. Respeitarei os segredos a mim confiados. Manterei, a todo custo, no máximo possível, a honra e a tradição da profissão médica. Meus colegas serão meus irmãos. Não permitirei que concepções religiosas, nacionais, raciais, partidárias ou sociais intervenham entre meu dever e meus pacientes. Manterei o mais alto respeito pela vida humana, desde sua concepção. Mesmo sob ameaça, não usarei meu conhecimento médico em princípios contrários às leis da natureza.

Faço estas promessas, solene e livremente, pela minha própria honra.”

(Juramento de Hipócrates, versão clássica – fonte aqui.)

Para meu entender, o médico ideal é aquele que, antes de tudo, escuta tudo o que o paciente tem a dizer sobre sua motivação de estar ali (vejo muitos médicos que estão apressados em terminar logo, para que entre o próximo a ser consultado), estando realmente preocupado e com vontade de ajudar. Ele deve ser paciente com o paciente, afinal, qualquer detalhe/informação pode ser crucial na hora de diagnosticar.

Além disso, deve examinar devidamente o enfermo (existem muitos médicos que parecem que tem nojo de sequer encostar no seu paciente, e chutam um possível diagnóstico sem ter certeza, e ainda dizem coisas do tipo “se não funcionar, volta aqui que eu receito outro tipo de remédio”), sendo o mais cuidadoso e meticuloso possível.

Por fim, após ter descoberto o que há de errado, creio que um bom médico deva explicar de forma simples, o que está acontecendo, e como ele vai resolver o problema, discorrendo como o remédio/tratamento/cirurgia funciona, se há efeitos colaterais, entre outros detalhes relevantes (muitos médicos, quando explicam essas coisas, o fazem utilizando palavras específicas da medicina, esquecendo-se que quem está ouvindo é um leigo no assunto. Alguns, evidentemente, para demonstrar superioridade em relação ao paciente e acompanhantes.).

Torço para que a quantidade de médicos verdadeiros aumente, e que os falsos médicos se conscientizem da responsabilidade da profissão, e passem a tratar mais humanamente seus pacientes. Afinal, ganhar dinheiro é bom, mas recebê-lo de forma honrada, por mérito próprio, é muito melhor e valoroso!

Por hoje é só!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

Quando

Post escrito originalmente em 24 de outubro de 2014.


Olá a todos! 🙂 Como estão?

Hoje, mais uma vez, estava relendo e-mails antigos, e encontrei um que achei bem legal! Foi-me enviado pela querida Marie.

Quando
Imagem retirada deste blog.

Quando

Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção: pode ser a pessoa mais importante da sua vida.
Se os olhares se cruzarem e, neste momento, houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.
Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos se encherem d’água neste momento, perceba: existe algo mágico entre vocês.
Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Deus te mandou um presente divino – O Amor.
Se um dia tiverem que pedir perdão um ao outro por algum motivo e em troca receber um abraço, um sorriso, um afago nos cabelos e os gestos valerem mais que mil palavras, entregue-se: vocês foram feitos um pro outro.

Um amor mágico assim, quem nunca sonhou?

Muitos dizem que não existe! Eu mesmo, muitas vezes perdi as esperanças de encontrar alguém que me deixe assim novamente… Mas, quem sabe? Um dia… Em algum lugar… Não exista este tão sonhado e perfeito amor!

Amor perfeito não é aquele em que não exista dificuldades ou atritos, o ele é aquele que, mesmo com todas as adversidades, o casal, juntos, se esforçam para superar! Compensam as fraquezas, um do outro, para se tornarem perfeitos.

Esta sensação mágica, a qual parece que ninguém mais sente… mais uma vez, eu quero sentir!

Por hoje é só!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços

Coração Perfeito

Post escrito originalmente em 06 de março de 2012.


Olá para todos! 🙂 Como vão?

No post de hoje vou falar sobre o que é um coração perfeito. Inspirei-me em uma imagem que vi na página Retalhos, do Facebook:

Coração Perfeito

Para vocês, o que é um coração perfeito? Seria um coração liso, sem um arranhão, intacto, “perfeito”? Para mim, o verdadeiro coração perfeito é aquele cheio de buracos e feridas.

Os que se orgulham de ter um coração sem um arranhão, acreditando que este é perfeito, não entendem o quão maravilhoso é doar-se e/ou amar alguém!

A cada pessoa que amamos, damos um pedacinho do nosso coração, muitas vezes não recebemos de volta um pedaço do coração dessa pessoa, ou recebemos em tamanho diferente. Outras vezes recebemos de alguém inesperado… Às vezes, nos ferimos, às vezes machucamos quem amamos e nos magoamos com isso. Mas, tudo isso é uma prova de que esses sentimentos preciosos existiram/existem.

Assim, talvez o nosso coração fique realmente cheio de emendas, buracos, feridas e irregularidades, mas quem tem o coração assim, é mais feliz, pois sabe o que é realmente amar alguém, e a felicidade que sentimos em amar sem esperar nada em troca!

Cada ferida, cada marca, cada buraco em nosso coração é uma prova de que alguém importante passou pela nossa vida!

Há uma pequena historinha que fala sobre isso! (Não havia colocado na postagem original, em meu blog antigo). Eu a recebi por e-mail em setembro de 2011, de minha querida Aline T. R.:

Um Belo Coração
Imagem retirada deste site.

Um Belo Coração

Para que tenhamos um coração belo é preciso saber  o que é a verdadeira beleza e como conquistá-la!

Um jovem estava no centro da cidade, proclamando ter o coração mais belo da região. Uma multidão o cercou e todos admiraram o seu coração. Não havia marca ou qualquer outro defeito. Todos concordaram que aquele era o coração mais belo que já tinham visto. O jovem ficou muito orgulhoso por seu belo coração.

De repente, um velho, aliás, um Idoso, apareceu diante da multidão e disse:

-“O coração do jovem não é tão bonito quanto o meu!”

A multidão e o jovem olharam para o coração do idoso, que estava batendo com vigor, mas tinha muitas cicatrizes.

O jovem olhou então para o idoso e disse:

-“O senhor deve estar brincando… Compare nossos corações. O meu está perfeito, intacto e o seu é uma mistura de cicatrizes e buracos!”

-“Sim! – disse o idoso. – Olhando, o seu coração parece perfeito, mas eu não trocaria o meu pelo seu. Veja, cada cicatriz representa uma pessoa para a qual eu dei o meu amor. Tirei um  pedaço do meu coração e dei para cada uma dessas pessoas. Muitas delas deram-me também um pedaço do próprio coração para que eu colocasse no meu, mas, como os pedaços não eram exatamente iguais, há irregularidades. Mas eu as estimo, porque me fazem lembrar do amor que compartilhamos. Algumas vezes, dei pedaços do meu coração a quem não me retribuiu. Por isso, há buracos. Eles doem. Ficam abertos, lembrando-me do amor que senti por essas pessoas… Um dia espero que elas retribuam, preenchendo esse vazio. E então, jovem? Agora você entende o que é a verdadeira beleza?”

O jovem ficou calado e lágrimas escorreram pelo seu rosto. Aproximou-se do idoso, tirou um pedaço do seu perfeito e jovem coração e ofereceu ao velho, que retribuiu o gesto. O jovem olhou para o seu coração, não mais perfeito como antes, porém mais belo que nunca. Os dois se abraçaram e saíram caminhando lado a lado.

Como deve ser triste passar a vida com o coração intacto!

Do meu Coração, eu retirei este pedacinho especial para você! Guarde-o, com carinho!

Bom, por hoje é só!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

[Poesia] Nosso Verdadeiro Amar

Post escrito originalmente em 30 de abril de 2016.


Olá a todos! 🙂 Tudo bem?

Estou repostando uma poesia minha, de meu antigo blog!

Nosso Verdadeiro Amar
Imagem retirada deste site.

 

Nosso Verdadeiro Amar
Poesia: Nosso Verdadeiro Amar

 

Quando se encontra um verdadeiro amar, o mundo parece mais colorido e vívido. Torna-se uma verdadeira motivação de viver que, quando recíproco, fortalece ambos.

Por hoje é só!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!